Ir para o conteúdo

segunda-feira, 22 de abril de 2024

Artigos

O papel do médico além de diagnósticos e prescrições

Até poucos anos atrás, receber o diagnóstico médico com indicação cirúrgica de risco ou doença grave, era como estar diante da própria sentença de morte. Com o avanço das novas tecnologias e estudos cada vez mais aprofundados no combate e cura de doenças, os tratamentos oferecidos atualmente possibilitam mais qualidade nas terapias intervencionistas e procedimentos cirúrgicos mais modernos e assertivos. Cercados do que há de melhor e mais moderno, mesmo diante de quadros complexos, acreditamos sempre na possibilidade de reverter um prognóstico, pois nossa missão é salvar vidas.
Diante disso, façamos a seguinte reflexão: você já parou para pensar o quanto ter saúde é importante? Quando não estamos bem, de alguma forma somos tolhidos de viver plenamente, de ter liberdade. Esta privação está na viagem que fica pra depois, no prato predileto que não pode mais ser apreciado, na sobremesa que foi totalmente proibida, no futebol do final de semana que fica na lembrança, na taça de vinho, que sentimos o sabor só de imaginar. Valorizar a saúde depois de perdê-la, mesmo que por um tempo, tem dessas coisas; passamos a dar a real importância aos momentos e experiências que antes eram triviais. Visto sob este prisma, o papel do médico no cuidado e acompanhamento com o paciente, está pautado acima de tudo, em enxergar aquela pessoa como um ser humano que faz parte de um núcleo familiar, que assim como nós, tem medos, angústias, dores, amores, sonhos e projetos que ela quer e deve viver. Oferecer apoio, orientar sobre as melhores alternativas de tratamento de acordo com cada caso e ser capaz de estender a mão na caminhada do tratamento é tão importante quanto prescrever uma medicação ou encaminhamento médico. Um médico com olhar humano, passa a confiança e força que o paciente precisa naquele momento. Nós, que lidamos com a vida e morte em uma linha tênue, queremos falar mais de vidas, de cura, ser a ponte que ajuda a proporcionar mais saúde para que todos os outros campos sejam desfrutados de maneira plena.
Cuidar da saúde é um movimento de dentro para fora e de fora para dentro. Mesmo quando seguimos uma rotina de alimentação saudável, prática de atividade física e visitas regulares ao médico, às vezes a vida nos prega algumas peças. Nessas horas precisamos nos readaptar, seguir outras rotas, mas sem deixar de lado os cuidados com a saúde, o prazer de viver as pequenas coisas da vida. Vez ou outra, passamos por dissabores, mas acreditamos que há mais flores do que espinhos no caminho do que chamamos de vida.

Dr. Henrique Lima Couto
Mastologista, Membro Titular da Sociedade Brasileira de Mastologia

Compartilhe: