Ir para o conteúdo

quinta-feira, 05 de agosto de 2021

Artigos

O incrível poder do Sinal da Cruz para afastar demônios

O Sinal da Cruz, para os católicos, afasta os demônios e desfaz suas maldades. E na história da Igreja, encontra-se a experiência de Santo Atanásio sobre esse assunto.
No meio do tumultuoso século IV, Deus suscitou Atanásio, sacerdote inteligente e santo da Igreja de Alexandria. Quase no início de sua longa carreira defendendo a ortodoxia da Igreja, ele escreveu um pequeno livro (Sobre a Encarnação), defendendo vigorosamente as verdades centrais do Evangelho: a divindade de Cristo, a humanidade de Cristo, a lógica da cruz, a historicidade da ressurreição, etc.
Há um argumento que Atanásio faz a favor da fé cristã que é muito peculiar, pelo menos aos nossos ouvidos modernos. “Os que não creem na ressurreição oferecem uma forte prova contra si mesmos”, escreve ele, “se em vez de todos os espíritos e deuses adorados por eles expulsando Cristo, que dizem estar morto, Cristo, ao contrário, prova que eles estão mortos”. (31)
Os mortos não têm poder, explica ele, no entanto, Cristo muda a vida das pessoas diariamente, por isso não pode estar morto. Os deuses pagãos, por outro lado, “aparecem mortos na presença de Cristo, reduzindo sua pompa à impotência e à vaidade”.
Ele proporciona uma prova concreta de que Cristo está verdadeiramente vivo e é mais poderoso do que os deuses pagãos: “O Sinal da Cruz interrompe toda a magia, e toda bruxaria acaba em nada, e todos os ídolos estão sendo abandonados, todo prazer rebelde cessa, e todos olham da terra para o céu…” (31). Em outras palavras, o mal foge do Sinal da Cruz, por isso Cristo realmente é o Senhor.
São Atanásio repete este argumento ao longo de sua obra: “Aqui está uma prova da divindade do Salvador: Que homem simples, mágico, tirano ou rei poderia por si mesmo combater com tantos e contra toda idolatria e todas as hostes demoníacas e toda magia? […] Porque os mesmos deuses que os pagãos adoravam agora estão abandonando, e que antes zombavam dele como se ele fosse crucificado, o adoram como Cristo, confessando-lhe que é Deus. E aqueles que são chamados de deuses entre si são derrotados pelo Sinal da Cruz…” (53).
“Considerando que nos tempos antigos os demônios enganavam a imaginação dos homens, ocupando nascentes ou rios, árvores ou pedras, e assim se impunham aos simples com seus malabarismos; agora, após a visitação divina da Palavra, seu engano cessou. Porque pelo Sinal da Cruz, mesmo que um homem o use, ele expulsa seus enganos” (47).
“Os demônios, longe de enganarem mais com ilusões e profecias e artes mágicas, se se atrevem a tentar, ficam embaraçados com o Sinal da Cruz” (55).
“E que venha aquele que prova por experiência o que agora dissemos, e na própria presença do engano dos demônios e da impostura dos oráculos e das maravilhas da magia, que usa o Sinal da Cruz da qual se ri, e ele verá como voam os demônios, os oráculos cessam, toda a magia e bruxaria desaparecem” (48).
“Agora, se pelo Sinal da Cruz e pela fé em Cristo, a morte é pisoteada, deve ser evidente perante o tribunal da verdade que não é outro senão o próprio Cristo que exibiu troféus e triunfos sobre a morte, e assim ele perde todas as suas forças” (29).
Então, por que o Sinal da Cruz é tão poderoso? Porque representa a vitória total de Cristo sobre Satanás, o pecado e a morte. Os demônios são reais e estão ativos no mundo. A Escritura adverte: “Sede sóbrios e vigiai. Vosso adversário, o demônio, anda ao redor de vós como o leão que ruge, buscando a quem devorar” (1 Pedro 5,8).
Fonte: ChurchPOP

Compartilhe: