Ir para o conteúdo

sábado, 28 de dezembro de 2013

Artigos

O fardo

“Á tarde só tenho um tempinho para passar no bar correndo, tomar uma cervejinha… e pronto! Chega a hora do jantar, a novela, o jornal na televisão, outra novela, e está terminado o dia. Quando passa na casa de algum amigo, então aí é que não sobra mesmo um minuto de folga. É um corre-corre danado! Que vida! Quanta afobação…”
“Muita gente anda falando da necessidade que temos de pensar um pouco no próximo, de pensar em Jesus. Mas, como? Não tenho tempo para nada!… Não dá mesmo!
A família, durante o dia, além do meu serviço, me absorve todos os minutos. Tenho meus filhos para cuidar… É escola, machucaduras nos braços ou pés… Outro dia o Joãozinho se feriu, e tive de leva-lo ao médico. Gastei uma “nota preta”. E o remédio então… já pensaram como está caro? Deus me livre!
Como posso pensar nos outros, se nem em mim está dando?
Só aquela cervejinha à tarde que eu não dispenso mesmo… mas é só!”
Infelizmente, está é a realidade que vemos com a maioria das pessoas que se dizem “cristãos”…
Mas, outro dia, com a Bíblia na mão, comecei a refletir sobre uma passagem que diz: “Vinde a Mim, vós todos que estais aflito sob o fardo, e Eu vos aliviarei. Tomai o meu jugo sobre vós e recebei minha doutrina, porque Eu sou manso e humilde de coração e achareis repouso para vossas almas. Porque meu jugo é suave e meu peso é leve” (Mt 11,28-30).
Dentro do nosso corre-corre, da nossa falta de tempo e dificuldades, é em Jesus que encontraremos a paz, a serenidade, a solução.
É Jesus que nos pede para irmos a Ele!
Vamos deixar sob seus pés nossos problemas, nossas dificuldades e nossas aflições. Vamos deixar que o Seu precioso Sangue derrame sobre nós a paz que precisamos, e, aliviados dos fardos, tenhamos algum tempo para o próximo, possamos cuidar com mais carinho das coisas de Deus.

Compartilhe: