Ir para o conteúdo

sexta-feira, 12 de julho de 2024

Artigos

O equívoco daqueles que tocam em Jesus sem crer

Já fomos advertidos várias vezes que a porta da salvação é estreita: “Como é estreita a porta e apertado o caminho que leva à vida! E são poucos os que o encontram”! (Mt 7,14). E de imediato nos lembramos que os poucos que encontram esse caminho são todos aqueles que põem em prática os ensinamentos de Jesus, que é Deus, e se declarou ser “o Caminho, a Verdade e a Vida” (Jo 14,6). A porta estreita também é Ele, em sua Cruz (Jo 10,9.17s).

Mas apesar de tantas advertências feitas à humanidade, em todas as gerações, pela santa mãe Igreja, sempre carinhosa e dedicada em sua missão de testemunhar a salvação que o Senhor da Vida oferece a todos, a maioria da população mundial prefere dar de ombros a esse precioso convite, rasgando-o ora por ignorância, ora por voluntário desprezo.

O mal que assola e destrói tantos seres humanos é a sua falta de fé, é o “não crer”, apesar de tantas evidências tão cristalinas e indiscutíveis que já ocorreram em todos os séculos, e ainda acontecem na face da terra. A rejeição a Deus-Jesus é ainda uma realidade lastimável.

O que, no entanto, precisamos ressaltar é outra triste realidade: a falta de fé de inúmeros frequentadores de templos, igrejas ou espaços onde ocorrem eventos inclusive eucarísticos, ou em seus mais diversos cultos devocionais ou litúrgicos. Conseguem inclusive “tocar” em Jesus. Não estamos recriminando essas pessoas, porque o estar junto de Jesus já é um ato louvável, e se pode dizer “já é meio caminho andado”, que talvez possa levá-las a uma verdadeira conversão.

Lembremo-nos que tantos adversários de Jesus histórico nele tocaram, inclusive os soldados que o pregaram na cruz, e não creram. E aqui está o ponto fundamental do que vem a significar a fé autêntica, o que é de fato “crer”, para que não se viva uma “falsa fé”, uma forma fingida de se comportar, quando se mostra crente diante dos outros, mas tem um comportamento inadequado ou, pior ainda, permanece no pecado.

João, em sua primeira carta, explica o que é crer: “E sabemos que o conhecemos por isso: se guardamos os seus mandamentos. Aquele que diz ´Eu o conheço´, mas não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e a verdade não está nele” (1Jo 2,3-4).

“Tornai-vos praticantes da Palavra e não simples ouvintes, enganando-vos a vós mesmos!” (Tiago 1,22). “Meus irmãos, se alguém disser que tem fé, mas não tem obras, que lhe aproveitará isso?” (Tiago 2,14). “Assim também a fé, se não tiver obras, está completamente morta” (Tiago 2,17).

Só “tocar” em Jesus ainda não é suficiente. É preciso ir além: praticar o que Ele ensina.

(Por: Diácono Lombardi)

Compartilhe: