Ir para o conteúdo

segunda-feira, 24 de junho de 2024

Artigos

O dom de doar-se

Aspecto marcante da história da salvação é o fato de, sendo possuidor de toda grandeza e majestade, Deus enviar Seu Filho para salvar a humanidade de forma tão singular, tornando-O como de nós. Ao permitir que Jesus assumisse a condição humana, exceto no pecado, realidade que não pertence à natureza divina, Deus revela Seu amor infinito; inclinando-Se do alto dos céus habita entre nós.
Atestam as Sagradas Escrituras que toda a história da salvação é movida pela atitude do ‘doar-se’. Do chamado a Abraão, para que caminhasse rumo à terra prometida, ao ensinamento dos apóstolos, ‘doar-se’ é condição para que a vontade de Deus aconteça plenamente, não como condição limitante, mas com condição que potencializa Seu agir. A fé cristã fundamentada no amor-caridade explicita: sem doação não é possível ser feliz, tampouco, pode-se colaborar na realização de outrem, tanto pessoal quanto coletivamente.
Conta-se que um bonequinho de sal, querendo conhecer o mar, não fazia ideia de que seria necessário mergulhar. À medida que adentrava o mar ele se consumia, derretendo-se. Tudo parecia sofrimento e desilusão até que se deu conta de que, condição necessária, era deixar-se abraçar pelo mar; a aparente perda revelou-se rica e profunda experiência de comunhão, amor e doação. Só conhecemos alguém, de verdade, quando estamos nele e ele está em nós.
O ponto alto da história da salvação é, igualmente, marcado pela doação, pela entrega integral, a qual contemplamos através de Jesus que na cruz, obediente aos desígnios do Pai, entrega Sua vida pela salvação da humanidade. Parece estranho que o Senhor da vida perdesse a vida como todos os mortais. Tal entrega encontra sentido no desejo de Deus em participar da vida do homem a ponto de submeter-se a tamanho escândalo, a ‘morte de cruz’. Chama-nos atenção a exclamação de Jesus: “Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito”.
Jesus entrega Sua vida e, ressuscitando, vence as forças do pecado e da morte, toma-a de volta. O Senhor da vida e da história dispensa Sua vida, a vida eterna, a todo que Nele crê. Crer, mais que atitude racional, é atitude de fé que exige, acima de tudo, fidelidade e concretude. Crer em Jesus Cristo, mais do que doar o que se tem, é doar-se a si próprio. A consciência do doar-se, a partir e, em nome de Jesus Cristo, permite-nos, com Ele, Nele e por Ele ser também vencedores no hoje da história e, definitivamente, na eternidade. Doar-se é um dom! Doe-se! Quem se doa nunca perde, recebe vida em plenitude!

 

Ivanaldo Mendonça
Padre, Pós-graduado em
Psicologia
ivanpsicol@hotmail.com

Compartilhe: