Ir para o conteúdo

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

Artigos

O coronavírus tirou até o nosso sono…

Especialistas do mundo todo percebem aumento nos casos de insônia durante a pandemia e problema já tem até nome especial: corona-insônia ou covid-insônia

Ainda não é possível medir exatamente o impacto da atual pandemia de Covid-19 em nossas vidas. Tivemos nossa saúde física e mental ameaçadas, perdemos pessoas queridas, vimos negócios fechando e ficamos cheios de incertezas quando pensamos em futuro. E o efeito deste momento tornou até o nosso sono pior – o problema já tem até termo em inglês: coronasomnia (que seria algo semelhante a corona-insônia).
De acordo com a Universidade de Southampton, no Reino Unido, o número de pessoas com insônia, que antes era de um a cada seis pessoas aumentou para um a cada quatro, com mais problemas em certos grupos de pessoas, como mães e trabalhadores essenciais. Já na China, as taxas foram de 14,6% para 20%, Na Grécia, 40% dos participantes de um estudo disseram estar com problemas para dormir durante o isolamento social. No Google, a palavra “insônia” também foi mais buscada do que nos anos anteriores.
Em dezembro, a Universidade de Otawa divulgou que, em 55 estudos globais com mais de 190 mil participantes, foram constatados o aumento de depressão, ansiedade e transtorno do estresse pós-traumático (TSPT) em pelo menos 15% entre os profissionais de saúde. A insônia foi o distúrbio com maior aumento entre eles, de 24%
Os especialistas dizem que é sempre difícil lidar com o sono insuficiente, de menos de sete horas por noite. De forma geral, pode causar, no longo prazo, obesidade, ansiedade, depressão, doenças cardiovasculares e diabetes. Além disso, influencia em nossa rotina e convivência com as pessoas, já que a concentração é prejudicada e o humor pode ser alterado, podendo causar erros no trabalho, discussões em casa, entre outras inconveniências.
Falta de exercícios físicos, abusos na cafeína e diversas condições médicas são algumas das possíveis causas de insônia em geral, mas, nos casos desencadeados com a “ajuda” da pandemia, fatores como mudanças na rotina diária, falta de limites no trabalho, contato afetivo restrito e a falta de prática dos hobbies que dão prazer, além da sensação geral de incerteza, podem estar contribuindo para a queda na qualidade do sono.
A indicação é para que as pessoas não demorem a buscar um médico, pois a demora no tratamento pode tornar o problema crônico.
Algumas dicas para melhorar
o seu sono durante a pandemia:
•Evitar utilizar o notebook na cama
e o celular antes de dormir
•Não consumir as notícias ruins em excesso
•Saber identificar e evitar as coisas que
te deixam excessivamente ansioso
•Praticar exercícios físicos
•Tentar não ficar pensando nos problemas
na hora de ir para a cama
•Em caso de problemas para dormir,
procurar um médico

Compartilhe: