Ir para o conteúdo

sexta-feira, 09 de maio de 2014

Artigos

O casamento na Igreja

Até as família muito cristã, hoje em dia, os pais já não transmitem aos filhos a fé que eles procuram viver. Há casos até de verdadeira rejeição à crença paterna. Isso acontece principalmente  quando os filhos saem para estudar fora, ou mesmo vivendo na casa paterna passam a cursar faculdades. A grande maioria dos jovens de curso superior passa a viver completamente desligados de Deus, e esse modismo parece contagiar as gerações que os sucederam, que vão como que perpetuando esse modo de viver.
Por essa e outras razões grande parte dos moços e moças chega a idade adulta sem uma religião, sem Deus, até que se deparam com um dos momentos mais importantes de suas vidas o casamento com o dilema: recebo ou não na Igreja, perante Deus! Assumo um compromisso que não pode ser desfeito, que é para sempre?
Para uma pessoa batizada, como todo bom cristão sabe:o simples casamento civil não tem validade. Por outro lado não se pode estimular os noivos a receberem um sacramento no qual ambos não acreditam, e que se realizado seria apenas uma encenação, sem valor algum.
Há casos de casamentos em que um dos noivos tem fé. A outra parte porque ama e deseja se comprometer com a vida plena da noiva (ou noivo) aproxima-se também do sacramento. Isso evidenciará, sobretudo o respeito pela fé, pela crença daquele que acredita, e o compromisso em procurar juntos os caminhos do Senhor.
Nunca os noivos devem receber o sacramento porque os pais querem, e muito menos por ser bonito ou para os outros falarem.
Quando ambos não tem fé, o melhor que se pode fazer é aconselha-los a que se contentem com um casamento civil até o dia em que Deus os despertar, através de Sua Graça.
A Igreja não pode negar o sacramento do matrimônio, se os noivos o pedirem. A Igreja é Mãe. Ela acolhe, esclarece, jamais exige que alguém receba, ou recusa a alguém um sacramento, a amenos que ela saiba estar o candidato ao sacramento, a menos que ela saiba estar o candidato ao sacramento, agindo de má fé ou disposto a cometer sacrilégio ou ainda premeditando levar uma vida contrária àquela exigida pelos sacramentos.
Creio, porém que se alguém pede o sacramento é porque no fundo de sua alma existe um desejo de compromisso mais profundo.
E como nos fortalece para a vida, as graças do Sacramento!

Compartilhe: