domingo, 09 de agosto de 2020

Artigos

O Amor tudo transforma

A Quaresma, vivida pelos cristãos católicos convictos, da Quarta-feira de Cinzas ao Domingo de Ramos, consiste num tempo especial. Norteada pelo princípio da conversão, esta quarentena espiritual propõe que os discípulos de Jesus preparem-se para celebrar o verdadeiro sentido da Páscoa através de uma verdadeira revisão de vida que, contemplando a totalidade do ser, favoreça um profundo mergulho na novidade que o Cristo Ressuscitado dispõe a quem O ama, segue e testemunha.
Os exercícios espirituais que marcam este período são de especial valia. Através da oração estabelecemos diálogo sincero com Deus, por meio do jejum exercitamos o autodomínio e, pela força da caridade, expressamos concretamente a fé. Para orientar este grande retiro propomos rezar, refletir e agir a partir do tema ‘O Amor tudo transforma’, inspirados pelo lema ‘Viu, sentiu compaixão e cuidou’, expressão registrada no Evangelho Segundo Mateus (Mt 10, 33-34), aludindo a reação do Bom Samaritano frente ao necessitado que encontrara elo caminho.
O dom do amor consiste, antes de tudo, na graça concedida por Deus ao ser humano que, dotado de consciência, descobre-se capaz de amar e necessitado de amor, dotado de liberdade escolhe amar e permite-se ser amado, dotado de responsabilidade, admite que amar e ser amado é intrínseco ao seu ser, condição para seu progresso e realização. A dinâmica do amor envolve a existência humana, da concepção ao fim natural e, para além da vida terrena, insere-nos no grande mar do amor de Deus, na eternidade.
Amar a Deus sobre todas as coisas significa reconhecê-Lo como princípio e autor de tudo o que existe; amar a si próprio manifesta a consciência de que, como imagem e semelhança de Deus, não subsistimos fora da dinâmica libertadora do amor; amar o próximo como a si mesmo expressa a capacidade de sair de si, ir ao encontro do outro e amá-lo, sem se perder, humanizando-se cada vez mais; amar a criação, manifesta a consciência da necessidade de defender o equilíbrio necessário entre tudo o que existe, promovendo a ecologia integral.
A dinâmica do amor exige constante vigilância, consciência acerca dos desafios existentes ao longo do caminho e capacidade de se reinventar constantemente. Fundados no amor, a partir de Jesus Cristo, vivemos o contínuo processo de construção-reconstrução, através do qual a vida adquire sentido e significado. Viver com intensidade e fidelidade a proposta do período quaresmal possibilita-nos redescobrir a força transformadora do amor e, por ele transformados, amar cada vez mais. Caminhemos nesse firme propósito! Abençoada quaresma!

Ivanaldo Mendonça
Padre, Pós-graduado em Psicologia
[email protected]

Compartilhe: