Ir para o conteúdo

sábado, 13 de abril de 2024

Artigos

Nossa sociedade, enferma, sofre de “alterofobia”

INTRODUÇÃO

Ao completar 60 anos em âmbito nacional, a Campanha da Fraternidade faz um diagnóstico da nossa sociedade enferma e, à luz da Palavra de Deus e do magistério eclesial, constata que sofremos de grave “alterofobia”, causada por um “hiperindividualismo”.

Para o tratamento, o papa Francisco já nos indicou o remédio: “Fraternidade e amizade social”. O presente artigo é um guia de leitura para o Texto-base da CF-2024.

I PARTE – OBJETIVO

Em 2024, quando completa 60 anos em âmbito nacional (1964-2024),a Campanha da Fraternidade (CF) – inspirada na Carta Encíclica Fratelli Tutti, do papa Francisco, publicada em 3 de outubro de 2020 – traz como tema “Fraternidade e amizade social” e como lema “Vós sois todos irmãos e irmãs” (Mt 23,8).

Neste ano, a CF se empenha em fazer um diagnóstico da enfermidade que nossa sociedade atual sofre, com base nos sintomas que experimentamos cotidianamente no nosso convívio social e na literatura bíblica e do magistério sobre o assunto, para, enfim,

oferecer ou oferecer novamente o remédio indicado pelo papa Francisco ao mundo hodierno.

A Campanha da Fraternidade é o modo brasileiro de celebrar a Quaresma. Ela não esgota a Quaresma. Dá-lhe, porém, o tom, mostrando, a partir de uma situação bem específica, o que o pecado pode fazer quando não o enfrentamos. Por isso, a cada ano, recebemos um convite para viver a Quaresma à luz da Campanha da Fraternidade e viver

a Campanha da Fraternidade em espírito de conversão pessoal, comunitária e social (Texto-base da CF-2023, Apresentação).

Partimos de um princípio muito basilar e seguro, expresso no lema desta CF: somos todos irmãos e irmãs, possuímos a mesma dignidade, que nos dá uma igualdade fundamental, uma vez que, “dotados de alma racional e criados à imagem de Deus, todos

temos a mesma natureza e origem; e, remidos por Cristo, todos temos a mesma vocação e destino” (GS 29).

No entanto, move-nos a consciência de que estamos socialmente enfermos e é nossa missão ver, compadecer e cuidar (CF-2020). Por isso, a CF-2024 quer acompanhar nossa sociedade ao médico para que, com base nos sintomas que apresentamos, seja diagnosticada e medicada nossa doença mediante um processo de verdadeira conversão pessoal, comunitária e social (Revista “Vida Pastoral, Paulus, n. 355 – amanhã: II PARTE, OS SINTOMAS).

Compartilhe: