Ir para o conteúdo

quinta-feira, 23 de maio de 2024

Artigos

Nós viveremos para sempre, Aleluia, Aleluia!

A ressurreição de Jesus Cristo é o núcleo e o coração da nossa fé. A celebração da Vigília Pascal é a solenidade mais sagrada do ano litúrgico. E cada domingo é o memorial da Páscoa e o louvor de Deus que, ao arrancar seu Filho da morte, faz triunfar sua Vida em nós.

Em uma das comunidades da Igreja primitiva, havia pessoas que duvidavam da ressurreição do Senhor. É a elas que São Paulo escreve: “Se Cristo não ressuscitou, a nossa pregação é sem fundamento, e sem fundamento também é a vossa fé… e ainda estais nos vossos pecados… Então também pereceram os que morreram em Cristo. Se é só para esta vida que pusemos a nossa esperança em Cristo, somos, dentre todos os homens, os mais miseráveis” (1Cor 15,14-19).

“Existe um duplo aspecto no mistério pascal: pela sua morte Cristo libertou-nos do pecado; pela sua Ressurreição, abre-nos o acesso a uma nova vida” (CIC – Catecismo da Igreja Católica, 654).

Acreditamos que o Pai “ressuscitou Cristo, seu Filho, e desta forma nos introduziu de modo perfeito sua humanidade – com seu corpo – na Trindade” (CIC 648).

Acreditamos que Jesus ressuscitado, nosso Senhor como Deus que é, é fonte de esperança para todos os que depositam nele a sua fé. Ele nos faz participantes de sua Vida. A tal ponto que, no fim da nossa vida, não é o nada o que nos espera, mas a vida eterna na plenitude de Deus; ele nos “chamou das trevas para a sua luz maravilhosa” (1Pd 2,9).

Rezamos assim: “Disso se alegra o meu coração, exulta a minha alma; também meu corpo repousa seguro, pois não vais abandonar minha vida no sepulcro, nem vais deixar que teu santo experimente a corrupção. O caminho da vida me indicarás, alegria plena à tua direita, para sempre” (Salmo 16,9-11).

A ressurreição de Jesus nos dá a certeza de que também ressuscitaremos com ele, como afirma São Paulo: “Se o Espírito daquele que ressuscitou Cristo dentre os mortos habita em vós, aquele que ressuscitou Cristo dentre os mortos vivificará também vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que habita em vós” (Rm 8,11).

E Jesus avisou muito claramente: “Não fiqueis admirados com isso, pois vem a hora em que todos os que estão nos túmulos ouvirão sua voz, e sairão. Aqueles que fizeram o bem ressuscitarão para a vida; e aqueles que praticaram o mal, para a condenação” (Jo 5,28-29).

Compartilhe: