Ir para o conteúdo

sábado, 02 de março de 2024

Artigos

No Cerco de Jericó ”Cercando”

Com essas palavras quero deixar registrada a minha experiência vivenciada dia a dia no Cerco de Jericó; como amante das palavras que sou, não conseguiria fazê-la de outra forma!
O cerco de Jericó foi inspirado na passagem bíblica que narra a liderança de Josué, que após 7 dias de oração, com o poder do divino, desmoronaram-se as muralhas de Jericó. O cerco busca levar às pessoas um encontro com Deus para derrubar as muralhas que atrapalham sua vida.
Esse ano o tema escolhido pelo padre Davis, pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida (Minibasílica), foram os sete dons do Espírito Santo, e a cada dia eu fui sendo revestida por Eles.
No primeiro dia, fiquei em pé, as costas doíam, o cansaço me consumia, e pensei muitas vezes em ir embora, acompanhar pelas redes sociais, e não saia da minha cabeça a vontade daquele ser o primeiro e último dia; mas o dom do Temor de Deus me deu forças de permanecer, pois eu não queria deixá-lo triste fazendo isto!
No segundo dia, já revestida pelo primeiro dom, comprei uma cadeirinha portátil e fui novamente. Quando sentei naquela cadeira, parecia estar em um trono, de início, e com o passar do tempo o cansaço novamente me consumia, mas dessa vez já não pensei em ir embora, aguentei firme! Nesse dia o Espírito Santo me revestiu de Piedade, eu queria adorar a Deus a qualquer custo; tive também Piedade dos que não o adoram.
No terceiro dia, fui agraciada com um lugar no terceiro banco, acho que a graça começou a se concretizar depois de três dias, assim como na ressurreição de Jesus! Me revesti do dom da Ciência, e tive o conhecimento necessário para saber o que realmente importa na vida, o que realmente nos traz alegria, e a minha naquele momento, era estar pela primeira vez de frente e tão perto do altar, mesmo que debaixo de uma grande goteira, razão pela qual o lugar estava vazio no momento que cheguei.
No quarto dia, me sentia mais forte, já não tinha mais dores nas costas, e nem via o tempo passar, foi quando percebi que tinha sido agraciada pelo dom da Fortaleza, e a partir dali nada me impediria de completar os 7 dias de adoração!
Revestida de força, no quinto dia, o Espírito Santo soprou aos meus ouvidos vários Conselhos, consegui ter o discernimento de muitos caminhos a serem tomados. Agora eu não tinha mais medo, sabia que estava fazendo a vontade de Deus!
No sexto dia, pude ter o Entendimento de muitos porquês, tudo ficou claro pra mim! As traves dos meus olhos caíram, as trevas que me impediam de enxergar se transformaram em luz e essa luz foi capaz de iluminar a muitos que cruzavam meu caminho. Quiseram também beber dessa fonte de água viva, que irradiava de maneira espontânea!
Entendi também o simbolismo do número 7, pois no sétimo dia nada mais era capaz de me derrubar!! Nem tempestades e potestades me impediram de estar na graça de Deus e partilhar de sua Sabedoria! Descobri que muitos corações, inclusive o meu, estavam como a terra seca ansiando pela chuva, e ela veio de maneira esplêndida banhá-los no último dia.
Posso dizer que hoje sou uma mulher nova, logo não sou mais eu quem vive, e sim Cristo que vive em mim!!

 

 

 

Erika Borges, cronista e
escritora – autora dos
livros Crônicas e Reflexões
da Vida e Crônicas e
Reflexões na Pandemia Mediadora
de Biblioterapia

Compartilhe: