Ir para o conteúdo

quinta-feira, 25 de julho de 2024

Artigos

Nascimento de São João Batista

57 Completou-se o tempo da gravidez de Isabel, e ela deu à luz um filho. 58 Os vizinhos e parentes ouviram dizer como o Senhor tinha sido misericordioso para com Isabel, e alegraram-se com ela. 59 No oitavo dia, foram circuncidar o menino, e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias. 60 A mãe, porém, disse: “Não! Ele vai chamar-se João”. 61 Os outros disseram: “Não existe nenhum parente teu com esse nome!” 62 Então fizeram sinais ao pai, perguntando como ele queria que o menino se chamasse. 63 Zacarias pediu uma tabuinha, e escreveu: “João é o seu nome”. E todos ficara admirados. 64 No mesmo instante, a boca de Zacarias se abriu, sua língua se soltou, e ele começou a louvar a Deus. 65 Todos os vizinhos ficaram com medo, e a notícia espalhou-se por toda a região montanhosa da Judeia. 66 E todos os que ouviam a notícia, ficavam pensando:
“O que virá a ser este menino?” De fato, a mão do Senhor estava com ele. 80 E o menino crescia e se fortalecia em espírito. Ele vivia nos lugares desertos, até ao dia em que se apresentou publicamente a Israel.
Logo ao nasceres não trazes mancha, João Batista, severo asceta, Mártir potente, do ermo amigo, grande profeta.
De trinta frutos uns se coroam; a fronte de outros o dobro cinge.
Tua coroa, dando três voltas, os cem atinge.
Assim cingido de tanto mérito, retira as pedras do nosso peito, torto caminho, chão de alto e baixo, torna direito.
Faze que um dia, purificados, vindo a visita do Redentor, possa em noss’alma, que preparaste, seus passos pôr.
A vós, Deus Único, o céu celebra, Trino em pessoas canta também.
Mas nós na terra, impuros, pedimos perdão. Amém.

 

 

(Lc 57-66.80)

Compartilhe: