Ir para o conteúdo

domingo, 19 de maio de 2024

Artigos

Não são as boas obras, que uma pessoa faz, que a salvam

Sempre é bom lembrar as parábolas e ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo, que é Deus, porque sem Ele nós nada somos e nem nada podemos fazer. Aliás, sobre estes dois últimos conceitos – sem Ele nada somos, e nada podemos fazer – nos remetem à parábola da videira e dos ramos, em João, no início do capítulo 15.

Nesta parábola, aprendemos que Ele é a Videira, que por seu tronco envia a seiva vital e fértil aos ramos, que somos nós. Quem somos nós sem essa seiva? Nada, porque sem ela não conseguimos produzir bons frutos por nós mesmos, por nossas próprias forças. Conclusão: os frutos que possamos produzir não são méritos nossos, mas d´Ele. E se uma pessoa se torna um galho estragado, que produza maus frutos ou nem os produza, o Pai, que é o agricultor, o corta para ser queimado. A seiva é boa, o galho é que é ruim.

Diante disso, convém saber que as boas ações que alguém pratica não a purificam. Não é a caridade praticada em favor do próximo que salva qualquer pessoa. É um equívoco. As boas ações são uma obrigação da pessoa, porque ela recebe a seiva divina para isso. É sua missão. Se não produzir bons frutos, torna-se pecado de omissão, antônimo de “missão”. Os méritos das boas ações são sempre de Cristo.

Isso posto, vamos para o conceito seguinte: ninguém é santo por si mesmo, ninguém se santifica por se achar bom, bondoso, bondosa etc. Nós não temos a santidade. Por isso, mesmo que possa parecer difícil de entender, a própria Mãe de Deus não tem a Santidade em si mesma, nem todos os santos e santas da mesma forma. A Virgem Maria é a única que nunca teve qualquer pecado, já nasceu Imaculada, não por seus méritos, mas pelos de seu divino Filho, a quem aceitaria conceber no tempo oportuno.

Já os santos e santas, enquanto estiveram aqui na face da terra, eram pecadores, tinham falhas e viviam pedindo perdão por as terem cometido, num esforço ascético contínuo. Então por que os chamamos de santos, se eles também não têm a santidade em si mesmos?

Você se lembra que Jesus certa vez disse a alguém “Só Deus é bom”? E é isso que precisamos compreender: nós não somos bons, nem santos pelo que fazemos, pois também sempre temos uma certa inclinação para o mal. Só Deus é Santo. “Santo, Santo, Santo!” Assim como a lua não tem luz própria, mas brilha devido ao sol, nós não temos a santidade. Mas qualquer pessoa que se aproximar o bastante de Deus, receberá a santidade d´Ele.

A Mãe de Deus é a mais santa de todos os seres humanos porque é a que está mais próxima de Deus. Os santos e santas podem ser assim ser qualificados, não por seus méritos, mas porque em sua existência terrena souberam se aproximar de Deus.

Por: Diácono Lombardi

Compartilhe: