Ir para o conteúdo

terça-feira, 27 de fevereiro de 2024

Artigos

Na Assembleia Diocesana foram propostos projetos de ação pastoral

A Assembleia Diocesana realizada ontem, 1º de Maio, na Cidade Maria, com todo o clero, religiosos e religiosas e lideranças de toda a Diocese, houve momentos muito marcantes devido ao seu caráter celebrativo, uma vez que se comemora o Jubileu de Ouro da criação da Diocese – 1973/2023), mas com o ápice na Santa Missa. Desde a auspiciosa notícia recebida à época, com a nomeação de seu primeiro bispo, Dom José de Mattos Pereira, até o momento, com o sexto bispo, Dom Milton Kenan Jr – sobrinho de Dom José -, foi uma longa caminhada de fé e esperança, com realizações mil apesar de normais desafios e contratempos da história.
Essa fase de celebrações, iniciada já há algum tempo, não terminou ontem, porque o momento maior ainda está agendado para o dia 28 de maio, solenidade de Pentecostes, com uma festiva Santa Missa em que celebraremos o padroeiro diocesano, o Divino Espírito Santo.
Findadas todas as celebrações, sabemos que a caminhada continuará e desafios sempre se apresentarão. Por isso, também na assembleia de ontem o Secretariado de Pastoral, tendo à frente o bispo Dom Milton e por seu coordenador Pe. Thiago Reis, apresentou a todos seis projetos de ação, não obrigatórios mas como propostas de trabalho a serem escolhidos e postos em prática por essas lideranças a partir de agora, conforme as Diretrizes emanadas pela Igreja, notadamente pelas da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB – que acaba de encerrar a sua 60ª Assembleia Geral em Aparecida.
Aqui mostramos apenas os tópicos desses seis projetos: Formação de Lideranças; 2) Capacitação de Conselhos Pastorais e Econômicos; 3) Participação litúrgica ativa, consciente e frutuosa; 4) Setor Juventude; 5) Testemunho de Compromisso Social; e 6) Estado Permanente de Missão.
Assim deve mesmo ser a Comunidade Diocesana, em sua caminhada: ano após ano, fazendo história com o Povo de Deus que a constitui, não importa os obstáculos e antivalores que se apresentam continuamente, verdadeiros desafios a serem enfrentados, mas com a ajuda divina vencidos um a um.
É com essa determinação que a Diocese de Barretos se propõe a permanecer no “Caminho, Verdade e Vida” – o Bom Pastor.

 

 

(Por: Diácono Lombardi)

Compartilhe: