Ir para o conteúdo

quinta-feira, 30 de maio de 2024

Artigos

MORAL E CÍVICA

Bom Dia Barretos.

Estamos sentindo saudades da disciplina “Moral e Cívica” em nossas escolas. Vivemos na última década, uma tentativa envolvente, de destruição do conceito família e consequentemente o respeito e o amor de nossa população pela terra mãe. A mídia, devidamente irrigada com benesses governamentais, se tornou cumplice da derrocada moral e cívica pela qual estamos passando. Paralelamente, a população, envenenada pelos noticiários relatando o elevado grau de corrupção que envolvia todos os poderes da república, foi se tornando apática e desmotivada para reagir.
Com as tetas do governo secas, as viúvas dos negros tempos, graças a Deus, de outrora, tentam desesperadamente se reagruparem para barrar a onda moralizante de costumes e da economia da nação. São verdadeiros suga pátria, e diria mais, em alguns episódios, traidores da pátria, colocando seus interesses escusos acima dos interesses da nação.
Assim se portaram aqueles que, se dizendo representantes da sociedade civil brasileira, apelaram aos governos estrangeiros, para que votassem contra o Brasil, nas eleições para o conselho de direitos humanos da ONU. As conectas direitos humanos e a associação brasileira de gays, bissexuais, travestis, transexuais e intersexos [ABGLT], já se posicionaram contra a renovação do mandato brasileiro no referido conselho da ONU. Essa é a primeira vez na história da democracia brasileira, que ONGs fazem campanha contra a manutenção do país nos órgãos da ONU. A conectas vai mais longe ao apelar para que a América Latina se organize e apresente um candidato alternativo contra o brasileiro. Mas, como só criticar as ONGs, se vemos os senhores nobres Senadores dizerem em alto e bom som, que só votarão o segundo turno da reforma previdenciária se o governo liberar mais recursos para suas emendas, tal como aconteceu na Câmara Federal.
Urgentemente precisamos da volta de educação moral e cívica em nossas escolas. Eram tantos os penduricalhos criados, que no fim não sobrava recursos para investimentos. Homens e governantes passam, e muitas vezes caem no esquecimento, mas as consequências de seus atos tresloucados contra o país, deixam marcas que nem o tempo consegue apagar.
Para completar, estamos assistindo agora uma briga fraticida entre membros do Ministério Público e do Supremo a nos dizer: Meu Deus, estamos vivendo tempos sem regras morais, cívicas, legislativas e agora também sem saber a quem recorrer. Só nos resta a Fé e a Esperança de que um dia o Brasil retornará aos princípios de justiça, amor e paz, que fazem parte da índole de nosso povo.

BOM DIA BARRETOS.

Compartilhe: