Ir para o conteúdo

quinta-feira, 20 de janeiro de 2022

Artigos

Maturidade

Vivemos assim como na natureza, onde a colheita de um lindo e doce fruto só acontece depois de uma longa jornada para enfim chegar à maturação ideal, que dura algum tempo antes de começar a entrar em decomposição e novamente virar semente.
Nascemos porque fomos plantados, nos desenvolvemos porque fomos cuidados, e só chegamos à maturação ideal depois da atenção e dedicação de muita gente, diferentemente das plantas, que na maioria das vezes só depende do sol, da chuva e do vento.
Na juventude começamos a produzir os primeiros frutos, que nem sempre são doces, na ânsia de fazer muitas coisas ao mesmo tempo e rápido demais, os frutos até crescem, se desenvolvem, mas não atingem nem tamanho nem sabor desejados.
Erramos nas escolhas, nas quantidades e qualidades dos insumos necessários para bem nutri-los, e infelizmente na maioria das vezes demoramos para admitir o erro. Após muitas primaveras quase sem flores, áridos invernos, e violentas tempestades, começamos a produzir frutos um pouco melhores, mas ainda não bons o bastante.
Depois de quase mais da metade da vida, após muitos acertos e erros, enfim descobrimos a receita para o fruto perfeito, que terá doçura, cor e tamanho ideais, e nos questionamos porque não enxergamos essa formula antes…
A resposta é simples, porque tudo na vida tem seu tempo, e antes que o fruto adquira sua maturação impecável, a árvore precisa adquirir sua maturidade; só então o ciclo se completará, e as boas sementes que serão novamente semeadas pelo vento ou por outras pessoas, substituirão as cansadas raízes e galhos quebradiços que enfim descansarão, pois cumpriram bravamente sua missão que permanecerá se renovando de geração em geração.

 

Erika Borges, cronista e escritora,
autora do livro Crônicas e Reflexões
da Vida, Membro do Coletivo RELIARTES
(Rede Literária Independente e Artes).

Compartilhe: