Ir para o conteúdo

domingo, 26 de junho de 2022

Artigos

Mais dicas sobre Burnout! Outros sinais que podem indicar que você tem o problema

Sintomas físicos: Quando estamos passando por uma fase de desequilíbrio emocional, seja por qual motivo for, é comum que o corpo, devido a reações neurobiológicas e hormonais, também apresente sintomas físicos. No caso do burnout, pesquisas sinalizam que ele está relacionado a uma série de desordens físicas, como: síndromes metabólicas, imunidade prejudicada e doença cardiovascular. Também é possível que surjam sintomas como dores musculares, cefaléias e enxaqueca, problemas gastrointestinais, disfunções sexuais, fadiga, falta de ar, taquicardia, tontura, vertigem, sensação de formigamento, entre outros.

Alterações no apetite: Nosso organismo tende a modificar em parte seu funcionamento para lidar com as adversidades, por meio da mediação de hormônios, como o cortisol. Entre essas modificações fisiológicas pode ocorrer a redução do apetite em quadros de burnout ou mesmo na depressão.
Irritabilidade: Nossa habilidade de ponderar e mediar conflitos fica prejudicada, No burnout, o indivíduo fica vulnerável a responder de maneira mais impulsiva e irritável, passando a viver em constante impaciência.

Dificuldade de concentração/ esquecimento: É comum termos prejuízo de memória e falha de concentração em quadros da síndrome de esgotamento profissional. Dada as dificuldades de sono, cansaço e sintomas emocionais, como ansiedade.

Sentimentos de derrota/incompetência: O trabalhador sente uma redução da sua eficácia profissional, o que significa que ele experimenta constantemente frustração, apresenta baixas expectativas em relação ao seu próprio desempenho e cognições relacionadas a fracasso.

Depressão: O burnout acomete o funcionamento do cérebro saudável, afetando o funcionamento de diferentes vias cerebrais, provocando sintomas depressivos como tristeza excessiva, falta de prazer em atividades que a pessoa gostava, falta de concentração.
A Síndrome de Burnout e depressão possuem uma elevada correlação. Um estudo, inclusive, apontou que 53% dos pacientes com burnout grave também foram diagnosticados com depressão. Mas, é importante ressaltar que apesar de compartilharem características em comum, tratam-se de condições diferentes. Enquanto a síndrome do esgotamento profissional está relacionada ao contexto do trabalho, a depressão acontece de modo mais abrangente em diferentes áreas.
Fique atento aos sinais, caso perceba que se enquadrou em alguns dos que apontamos, busque ajuda imediatamente.
Você não está sozinho, existem vários profissionais que podem te ajudar. A Ginástica apara o Cérebro é um dos recursos que podem fazer você superar esse momento.

 

Luciana Maria Depieri Branco
Neurocientista
SBNeC n° 16253
www.reabilitacaomultimidia.com.br

 

Contato Ginástica para o Cérebro: Hospital São Jorge (17) 3321-5050

Compartilhe: