terça-feira, 04 de agosto de 2020

Artigos

Liderança nos tempos de COVID-19

Nos últimos dias o escritório da Innovatech, e tantos outros espalhados pelo nosso país, tem estado bem diferente do que estamos acostumados. Em vez de técnicos, executivos e clientes em postos de trabalho, a grande maioria está tralhando a partir de casa. A situação se repete na maioria do mundo, desde que a disseminação do Coronavírus foi declarada uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde.
Além da tragédia humana que vem fazendo vítimas em todos os continentes, é provável que tenhamos que enfrentar um cenário econômico bastante adverso pelos próximos meses.
Nas últimas semanas, conversei com especialistas e líderes empresariais e fizemos benchmarking em diversas organizações para identificar e preparar medidas eficazes para proteger o pessoal, a estabilidade das operações e a qualidade dos serviços aos nossos clientes. Nessas conversas, tive a chance de discutir sobre a evolução do papel da liderança e gostaria de compartilhar esse aprendizado.
Prepare-se. Há um mês atrás, poucas empresas planejavam sobre como lidar com a Covid-19. Mesmo hoje, a maioria tem apenas ações pontuais sobre a situação imediata. Não é tarde para falar em planejamento. Os desdobramentos são imprevisíveis, mas, com certeza, exigirão respostas rápidas e acertadas. Trace cenários. Tenha um plano. Execute o plano. Monitore o plano, revise o plano. Repita.
Teste o plano. Uma empresa com quem falei havia planejado home office, mas quando foram implementar descobriram que apenas alguns colaboradores tinham equipamento. Em outra empresa, o problema eram as restrições na comunicação com terceiros e, numa terceira, não havia licenças de softwares para todos.
Outra coisa: processo não é burocracia. Da mesma forma, comitê de contingências não é fórum de debate: é um processo para reunir as pessoas que têm autoridade para tomar decisões e os especialistas que podem suportá-las.
Comunique-se. A coordenação do trabalho à distância tem se tornado mais comum em empresas de todos os setores, mas poucas estavam preparadas para a súbita necessidade de que essa se tornasse a principal forma de trabalho das equipes. Diversos gestores mostraram preocupação sobre a perda de coesão e efetividade dos times.
Com tanto aparato tecnológico é fácil subestimar quantas informações e direcionamentos críticos são transmitidos espontaneamente em encontros presenciais, não só em reuniões, mas também na cafeteria. Temos que aprender a emular, à distância, os efeitos desses contatos. Isso vale não só para o time de operações. É importante, também investir mais tempo no contato com as áreas de suporte: o pessoal de RH, de TI e do Jurídico tem, provavelmente, uma perspectiva inestimável sobre o que é necessário para manter as operações funcionando.
Coordene-se. Esteja em sintonia com os outros elos da cadeia em que está inserido. Entenda o que está acontecendo nas operações dos seus fornecedores e clientes e trabalhe junto com eles para construir soluções. Ao estabelecer prioridades de maneira conjunta e de maneira transparente aumentamos a resiliência de toda a cadeia.
Mantenha-se informado. Não existe liderança eficaz sem informação de qualidade. Partir de uma premissa equivocada gera, consequentemente, uma decisão ruim. São tantas as informações disponíveis que muitas vezes é difícil saber como escolher entre elas. A decisão e a responsabilidade são sempre da liderança, mas precisamos ouvir os especialistas. As redes sociais são, potencialmente, um meio maravilhoso de disseminação de informações, mas os experts são o GPS com que as lideranças contam para navegar a complexidade.
Conecte-se com o seu pessoal e com a sua comunidade. Por fim, é certo que as vidas dos seus colaboradores serão impactadas pela pandemia: alguns ficarão doentes ou terão casos na família; as escolas estarão fechadas e as crianças estarão em casa.
Mesmo praticando distanciamento social, conecte-se com essas pessoas, exercite a sua empatia. Envolva-se na solução dos problemas em todos os âmbitos em que puder ajudar. Algumas empresas do setor de manufatura converteram temporariamente suas linhas para a produção de máscaras, a fim de abastecer comunidades carentes. Talvez você não consiga fazer algo do tipo, mas é possível que a sua empresa esteja mais bem preparada que o condomínio do prédio onde funcionam os seus escritórios. Apoie.
A segurança é um esforço coletivo e as lideranças são fundamentais nesse momento. Fiquem seguros.

João Comério – Sócio fundador e CEO da Innovatech.

Compartilhe: