Ir para o conteúdo

quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Artigos

Lições do passado

Bom dia, Barretos!
Como é bom, recordar os acontecimentos que propulsionaram nossa cidade, e tirar proveito do aprendizado. Assumi a prefeitura municipal em 1.983 e tomei conhecimento que no governo Maluf e Jose Maria Marin, que terminou o mandato, haviam sido criadas as décima segunda e décima terceira regiões administrativas do Estado de São Paulo. Não tive dúvida, sai a campo buscando o prefeito eleito de Araraquara para juntos pedirmos ao governador Marin que sancionasse a lei. O governador eleito, Franco Motoro, queria uma reformulação após sua posse. Como Araraquara resolveu por motivação política esperar Montoro tomar posse, tomamos a iniciativa de reunir as forças vivas de Barretos, independentemente de cor partidária e com o deputado Sebastião Monteiro de Barros em caravana conseguimos que Marin sancionasse a lei. Oficialmente criada, a regional precisava ser instalada. A fim de consolida-la num trabalho junto à secretaria da saúde, tivemos o consentimento do secretario para instala-la, desde que o município cedesse o local e os funcionários, uma vez que em fim de governo não teria como fazê-lo. Assim procedemos e instalamos a primeira secretaria da décima terceira região administrativa. Montoro tomou posse e acabou diluindo a décima segunda entre Araraquara e São Carlos, mas a de Barretos estava salva. Aproveitamos uma viagem de Montoro ao exterior, com Quércia o substituindo por dois dias e conseguimos que Quércia assinasse a implantação oficial da décima terceira região do estado. Tudo isso só foi possível porque conseguimos aglutinar todas as forças barretenses na busca do resultado. Os anos se passaram. Para cada conquista uma luta. Conseguimos a instalação do DER de Barretos, e para tal tivemos que desmembrar cidades das regiões de Araraquara, Ribeirão Preto e São Jose do Rio Preto, uma façanha que passou para a nossa história. Conseguimos conquistar a delegacia regional de polícia, quando ninguém acreditava no feito. Estava mais que consolidada nossa regional. Conseguimos com muita luta criar mais um batalhão da Polícia Militar, o décimo segundo batalhão, que numa manobra de última hora foi instalado em Franca. Voltamos à carga e conseguimos a criação do décimo terceiro batalhão que finalmente se instalou em Barretos. Para se instalar precisava de um local, e fomos buscar junto à Secretaria da Educação solicitando a cessão do prédio de uma escola no frigorífico, realocando os poucos alunos em outra escola, e então instalamos o batalhão. Conseguimos que se fizesse a duplicação da Faria Lima começando de Barretos para São Paulo, um fato inédito. Digo isso, apenas para realçar que tudo isso foi possível por ter sido deputado, líder do governo e secretário do interior. Como Chefe de Gabinete do Ministério de indústria e Comércio na gestão do inesquecível Roberto Cardoso Alves, e presidindo em função do cargo, as reuniões da Embratur conseguimos os recursos necessários para a construção do estádio de rodeios do parque do peão. E agora, depois de mais de uma década que me aposentei de política, para voltar a dirigir meu hospital, quem tivemos a nos representar junto aos governos estadual e federal. Falhamos, Barretos falhou ao votar em aventureiros que aqui vinham garimpar votos e depois nos viravam as costas. Está na hora de Barretos acordar e no próximo ano eleger representantes genuinamente nossos para lutarem pelos nossos interesses. Quanto à saída de Olímpia da décima terceira região, foi um erro deles, pois ao criarmos o batalhão de Barretos, Olímpia ganhou uma companhia, ao criarmos o DER de Barretos, Olímpia ganhou uma residência do DER, o que não aconteceria se estivesse ligada a Rio Preto. Aqui seria uma cidade parceira, enquanto lá será apenas mais uma de uma vasta região. Agora é pararmos de lamentar o ocorrido, deixar de achar que “A grama do vizinho é mais verde que a nossa”, e nos orgulharmos de nossa cidade que tem o maior parque country do Brasil, o parque do peão, o maior rodeio da América do Sul, a Festa do peão. Um parque aquático, do Barretos Country que já está maravilhoso e não para de crescer; o Rio das Pedras que só não se transformou em regional porque resolveram fechá-lo só para sócios. Nossos frigoríficos exportam carne para o mundo; temos um dos maiores hospitais de câncer o da fundação Pio XII, que atende milhares de pessoas, vindo de todos os rincões. Temos uma estrutura médica invejável que acolheu pacientes de vários estados durante a pandemia. Queiram ou não somos um capital regional, falta apenas fazermos valer nosso peso e elegermos no próximo ano, barretenses que sonham com nossa cidade, independentemente da cor partidária. Cadê nossos lideres, cadê nossos homens públicos, Barretos não pode ser tão pobre de lideranças. É hora de chamar todos à luta, para então retomarmos nosso desenvolvimento acelerado.
Bom dia, Barretos!

Compartilhe: