Ir para o conteúdo

domingo, 23 de março de 2014

Artigos

José de Anchieta será canonizado em 2 de abril

O beato jesuíta espanhol José de Anchieta será canonizado em 2 de abril por meio de um decreto assinado pelo Papa Francisco. A opção por um decreto, em vez de solenidade na Praça de São Pedro, no Vaticano, foi do Santo Padre e teria sido escolhida porque a canonização não está baseada em um recente milagre do beato. A missa de ação de graças será presidida pelo Pontífice no dia 24 de abril na igreja romana dos jesuítas, 'Chiesa del Gesù'.
A canonização do 'Apóstolo do Brasil', nascido nas Ilhas Canárias, deverá contar com a presença do bispo de Tenerife, Dom Bernardo Álvarez, que presidirá, posteriormente, celebração na Catedral da diocese espanhola. Além disso, quando o Papa Francisco assinar o decreto da canonização de José de Anchieta, os sinos badalarão em todas as igrejas da diocese, em sinal de júbilo.
As badaladas também darão início às celebrações realizadas na Arquidiocese de São Paulo, cidade fundada por Beato Anchieta, ao lado de Padre Manoel da Nóbrega, no Pátio do Colégio. O cardeal Odilo Scherer disse que, após sua canonização, haverá manifestações religiosas e culturais na cidade de São Paulo, e em outros estados por onde José de Anchieta foi missionário.  As festividades envolverão a sociedade civil e instituições religiosas.
"Anchieta foi um homem muito ativo, muito dinâmico. De grande importância para o início da história do Brasil, e o inicio da vida da Igreja no Brasil no século XVI", disse o cardeal.
A CNBB, durante a 53ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, que será realizada em Aparecida (SP), entre os dias 30 de abril e 09 de maio, promoverá uma celebração solene com a presença do episcopado brasileiro.
O procedimento chamado de 'canonização equivalente' reconhecerá ainda as virtudes heroicas e a trajetória apostólica de outros dois beatos nascidos na França, mas muito ligados à evangelização do Canadá, Maria da Encarnação (Guyart) e o bispo Francisco de Montmorency-Laval. O Papa explicou que estes três novos santos se apresentavam como paradigmas, modelos de evangelização.
 
[email protected] | www.diocesedebarretos.com.br

Compartilhe: