Ir para o conteúdo

segunda-feira, 24 de junho de 2024

Artigos

JMJ Lisboa 2023 doa 30 mil euros para vítimas da guerra na Ucrânia

A Fundação JMJ Lisboa 2023, responsável pela organização da Jornada Mundial da Juventude que acontecerá em Portugal, e os Comitês Organizadores Diocesanos (COD) doaram 30 mil euros para apoiar as vítimas da guerra na Ucrânia. Segundo a fundação, a iniciativa é uma resposta aos apelos do Papa Francisco em favor do povo ucraniano.
“Não nos podemos fazer tão presentes de forma tão imediata e eficaz como com a partilha deste pouquinho que conseguimos coordenar, entre o COL (Comitê Organizador Local) e os Comitês Diocesanos, para nos fazermos presentes, para verdadeiramente poder acontecer Natal imediatamente junto dos irmãos da Ucrânia”, disse o bispo auxiliar de Lisboa e presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023, dom Américo Aguiar.
Segundo dom Aguiar, este apoio financeiro quer “materializar o eco que a emoção do Papa Francisco provocou na Praça de Espanha, no dia da Imaculada Conceição” e “a ir ao socorro imediato desses irmãos e irmãs que tanto precisam”.
No dia 8 de dezembro, solenidade da Imaculada Conceição, o Papa Francisco rezou diante da Virgem Imaculada na Praça de Espanha, em Roma, como faz tradicionalmente. Na ocasião, Francisco se emocionou e chorou ao pedir pelo povo ucraniano e “pela paz que há tanto tempo pedimos ao Senhor”.
A Fundação JMJ Lisboa 2023 lembrou ainda que no dia 14 de janeiro, o papa convidou a fazer um “Natal mais humilde” para ajudar os ucranianos.
“Façamos um Natal mais humilde, com presentes mais humildes. Enviemos o que economizamos ao povo ucraniano, que está em necessidade, eles sofrem tanto, passam fome, sentem o frio e muitos morrem porque não há médicos, não há enfermeiras à disposição. Não esqueçamos: um Natal, sim; em paz com o Senhor, sim, mas com os ucranianos em nossos corações. E façamos algum gesto concreto por eles”, disse o Papa Francisco, ao final da audiência geral em 14 de dezembro.
Em mensagem de Natal publicada ontem (22), o presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023 recordou, “de um modo especial”, os “malogrados irmãos martirizados do povo da Ucrânia” e todos os que, na Rússia, “também sofrem a guerra”.
A guerra na Ucrânia começou no dia 24 de fevereiro e, no último dia 24, véspera de Natal, completou 10 meses.
Fonte: ACI Digital

Compartilhe: