Ir para o conteúdo

quinta-feira, 25 de julho de 2024

Artigos

Jesus, que é Deus, foi o primeiro homem a entrar no céu

A passagem evangélica de Marcos 16,15-20 nos apresenta o último encontro do Ressuscitado com os discípulos antes de ascender à direita do Pai. Normalmente, como sabemos, as cenas de despedida são tristes, causando aos que permanecem um sentimento de perda, de abandono; mas nada disso acontece com os discípulos. Apesar da separação do Senhor, eles não se mostram desolados, mas, pelo contrário, alegres e prontos a partir como missionários pelo mundo.

Por que não ficam tristes os discípulos? Por que devemos também nós nos regozijar ao ver Jesus subir ao céu?

A Ascensão completa a missão de Jesus entre nós. com efeito, se foi por nós que Jesus desceu do céu, é sempre por nós que ele sobe. Depois de ter descido à nossa humanidade e de a ter redimido – Deus, o Filho de Deus, desce e se faz homem, assume a nossa humanidade e a redime – agora Ele sobe ao céu, levando consigo a nossa carne. É o primeiro homem que entra no céu, pois Jesus é homem, verdadeiro homem, é Deus, verdadeiro Deus; a nossa carne está no céu e isso nos dá alegria. À direita do Pai encontra-se agora um corpo humano, pela primeira vez, o corpo de Jesus, e nesse mistério cada um de nós contempla o nosso destino futuro.

Não se trata de forma alguma de abandono, Jesus permanece para sempre com os discípulos, conosco. Permanece na oração, pois como homem reza ao Pai, e como Deus, homem e Deus, mostra-lhe as feridas, as chagas com as quais nos redimiu. A oração de Jesus está ali, com a nossa carne: é um de nós, Deus homem, e reza por nós. E isso deve dar-nos segurança, aliás, alegria, uma grande alegria!

O segundo motivo de alegria é a promessa de Jesus. Ele nos disse: “Enviar-vos-ei o Espírito Santo”. Ali, com o Espírito Santo, dá-se aquele mandamento que Ele faz precisamente na despedida: “Ide pelo mundo, anunciai o Evangelho!” É a força do Espírito Santo que nos leva pelo mundo para anunciar o Evangelho. É o Espírito Santo daquele dia que Jesus prometeu, e nove dias depois veio na festa de Pentecostes. Foi precisamente o Espírito Santo que tornou possível que todos nós sejamos assim hoje. Uma grande alegria!

Jesus foi para o céu: o primeiro homem diante do Pai. Partiu com as feridas, que foram o preço da nossa salvação, e reza por nós. Depois nos envia o Espírito Santo, promete-nos o Espírito Santo, para irmos e evangelizarmos. Eis o motivo da alegria dessa festa da Ascensão.

Enquanto contemplamos o Céu, para onde Cristo ascendeu e está sentado à direita do Pai, peçamos a Maria, Rainha do Céu, que nos ajude a ser testemunhas corajosas do Ressuscitado no mundo, nas situações concretas da vida”.

Por: Papa Francisco

 

Compartilhe: