Ir para o conteúdo

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Artigos

Japão: viciados na Internet precisam voltar à realidade

O Japão planeja introduzir campos dirigidos por especialistas em educação, a fim de auxiliar jovens escravizados pelo mundo “online”. O programa atenderá mais de 500 mil adolescentes entre 12 e 18 anos, mas o Ministério de Educação acha difícil definir números, devido tanto à expansão quanto à novidade patológica.
“É cada vez mais e mais um problema”, disse Akifumi Sekine, porta-voz do Ministério, ao jornal inglês The Daily Telegraph. Ela prosseguiu, afirmando que nas escolas japonesas existem cerca de 520.000 crianças comprometidas, mas que esse número cresce a cada dia, pois ainda não foi possível resolver o problema.
O Ministério já solicitou verbas para programas de imersão na realidade, com o objetivo de afastar os jovens de seus computadores, smartphones e aparelhos de jogo. “Queremos tirá-los do mundo virtual e encorajá-los a manter comunicações reais com outros jovens e adultos”, explicou Sekine.
O Ministério pensa em locais ao ar livre onde não haja conexão com a Internet. Neles os mais jovens poderiam participar de esportes e jogos aconselhados por psiquiatras e psicoterapeutas para que a retomada de contato com a realidade não seja traumática. 
O vício da Internet vem provocando em crescente número de crianças japonesas todo tipo de desordens, tais como distúrbios de sono e alimentação. Nos casos mais extremos, podem ser constatadas síndromes de depressão e tromboses arteriais associadas às posições fixas diante dos monitores.
Essa obsessão pela vida online prejudica também o rendimento escolar.
 
Luis Dufaur é escritor e colaborador da ABIM

Compartilhe: