Ir para o conteúdo

domingo, 28 de fevereiro de 2021

Artigos

Janeiro Branco: priorizando a saúde mental

A saúde mental tem a ver com o estado de bem-estar no qual uma pessoa consegue desempenhar suas habilidades, lidar com as situações da vida, ser capaz de trabalhar e enfrentar os desafios e mudanças da vida de forma produtiva. Envolve estar bem consigo mesmo, com seus familiares, colegas e amigos. É saber lidar com as boas emoções e também com aquelas desagradáveis, além de reconhecer o próprio limite e buscar ajuda quando necessário. Com o intuito de mostrar a importância de cuidar da saúde mental e emocional, foi criado a campanha Janeiro Branco, que busca conscientizar a sociedade sobre os aspectos e circunstâncias psicológicas que afetam os indivíduos, de forma a prevenir o adoecimento emocional.
Hoje, a carga mental está cada vez mais alta. De acordo com a OMS, o Brasil é considerado o país mais ansioso do mundo e o quinto mais depressivo. O que preocupa mais pelo atual momento, ainda atípico devido à pandemia da Covid-19, que mudou completamente a vida das pessoas. Por isso, a importância de aguçar o olhar para qualquer sintoma relacionado a questões psicológicas que estejam causando prejuízos no cotidiano, limitando a ter uma vida produtiva. É preciso ficar alerta para sintomas recorrentes, como irritabilidade aumentada, tristeza persistente, preocupação excessiva, prejuízos na qualidade do sono, sentimento de vazio, entre outros.
Tais questões não podem ser interpretadas como sinal de fraqueza — a falta de conhecimento pode ser muito prejudicial à recuperação do paciente. A verdade é que surgem por influência genética ou oriundas de alterações clínicas, sociais e de problemas familiares originados muitas vezes na infância ou na adolescência. Para cuidar da saúde mental, é possível realizar ações que reduzam o estresse (leitura, exercícios de respiração), praticar atividade física, ter momentos de lazer, cuidar do sono e da alimentação, treinar a mente de forma positiva, cultivar relacionamentos saudáveis, e manter ativa a rede socioafetiva, estabelecendo contato, mesmo que virtual, com familiares, amigos e colegas. Também é importante, quando necessário, buscar pela psicoterapia. Educar as pessoas sobre a importância do cuidado do dia a dia com os pensamentos, com a mente e com as emoções, é uma das chaves para encarar a vida de forma mais tranquila.

*Gláucia F. Bonotto, psicóloga que integra o corpo clínico do Hospital Dona Helena, de Joinville

Compartilhe: