Ir para o conteúdo

domingo, 14 de agosto de 2022

Artigos

Infarto: conheça os sintomas menos comuns

Olá!
O infarto agudo do miocárdio é a morte de uma parte do coração após uma obstrução aguda do fluxo sanguíneo para aquela região. A principal causa é a aterosclerose (doença em que placas de gordura vão se acumulando no interior das artérias, chegando a obstruí-las). É a doença que mais mata no Brasil – segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, são quase 400 mil mortes por ano. É o dobro das mortes causadas por todos os tipos de câncer juntos.
Quando o fluxo de sangue na artéria está comprometida por um entupimento parcial, a pessoa pode não sentir nada. Porém, se ela fizer algum esforço físico maior ou passar por uma situação de estresse, os vasos se contraem, o que interrompe temporariamente a passagem de sangue e pode gerar dor no peito. Quando a dor aparece só nessa situação de esforço, é chamada angina estável. Já a angina instável é quando a dor surge ao mínimo esforço ou em repouso. Essas dores costumam ter curta duração, mas em ambos os casos, é preciso procurar o cardiologista.
A dor do infarto costuma ser mais intensa e mais prolongada que a angina e o sintoma mais comum é a dor em aperto no peito que pode irradiar para o braço esquerdo e pescoço acompanhado de mal-estar. No entanto, poucos conhecem a existência de outros sintomas, mais sutis, que também podem indicar a iminência ou início de um acidente cardiovascular. Falta de ar, cansaço, azia e dor na mandíbula estão entre eles. O problema dessas manifestações, principalmente quando ocorre isoladamente, é que as pessoas não associam ao infarto. Costuma-se achar que um analgésico ou antiácido resolverá a situação. Por isso, é importante a conscientização sobre a necessidade de também procurar atendimento médico nesses casos. Não vale a pena correr o risco de subestimar as reações do organismo. Afinal, metade das mortes por ataque cardíaco acontece nas primeiras horas depois dos sintomas iniciais. Quanto mais rápido for o socorro, maiores as chances de sobrevivência e menor a probabilidade de sequelas. Adotar uma providência com agilidade é importante para preservar vidas. Quando se trata do coração, é muito melhor pecar pelo excesso de cuidado, porque a negligência no socorro pode ser letal.
Um ótimo domingo e até o próximo!

 

Daniele Rezek
Cardiologista
CRM 145.887
RQE 64.850

Compartilhe: