quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Artigos

INCOERÊNCIAS.

Bom Dia Barretos.

Na vida, a coerência entre o que se fala e o que se faz é fundamental, pois dá credibilidade aos nossos atos e respeitabilidade à nossa pessoa. Não se pode dar credibilidade a um incoerente. Querem um exemplo de falta de coerência, é uma pessoa se dizer ateu, mas frequentar as missas confessar e comungar. Outro exemplo é a pessoa se dizer avesso ao alcoolismo e promover uma festa com open bar. A fala e os atos são contraditórios.
Digo isso para ilustrar um grave desvio de coerência na administração pública de Barretos. Foi decretada a quarentena e, por decreto, impedida a chegada de ônibus a Barretos, visando impedir a entrada na cidade de pessoas portadoras do covid-19. Tudo isso, alegando a necessidade de impedir a propagação do vírus em nossa cidade e a defesa da saúde dos barretenses. Agora, contraditoriamente, solicita o credenciamento de um hospital local, oferecendo vagas para trazer doentes graves de corona de São Paulo, para serem tratados em Barretos.
Por acaso pode haver contradição maior? Impede a chegada de ônibus, alegando que pudessem trazer eventualmente alguma pessoa portadora do vírus, e abre a cidade para receber doentes graves da doença. As pessoas que eventualmente pudessem estar doentes, não poderiam adentrar a cidade, mas pessoas acometidas com a doença, pode.
Pode? Dá para acreditar? Mais ainda, a quarentena tem sido indicada mundo afora para impedir o colapso dos serviços de saúde pelo excesso de casos que demandem UTI, o que não é o caso de Barretos. Então, por que a quarentena selvagem decretada em nossa cidade?
Por que então, não abrandar as medidas tomadas? Falta coerência na condução do processo epidêmico por parte de nossas autoridades constituídas. Por isso, tenho afirmado que calamidade pública em Barretos, só a atual administração. Enquanto isso aumenta assustadoramente os casos de distúrbios psíquicos gerados pelo terror implantado junto à sociedade. Valha nos DEUS

Bom Dia Barretos.

Compartilhe: