quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Artigos

Inatividade física durante a quarentena pode trazer riscos de lesões no corpo

Ortopedista do Grupo São Francisco alerta que a falta de adaptação e dos cuidados necessários, podem provocar dores na coluna, nos ombros, na bacia, nos joelhos, entre outros casos

A inatividade física, a adoção de trabalho em home office e outras atividades em casa sem os cuidados necessários representam riscos de lesões físicas.
O médico Carlos Henrique Gazineu Abdenur, chefe do serviço de ortopedia e traumatologia do Grupo São Francisco, que faz parte do Sistema Hapvida, alerta que as mudanças em relação aos movimentos do corpo e a postura para a realização dos trabalhos, como o uso frequente de computadores, são as principais responsáveis pelos casos de dores.
“Durante essa época onde estamos com a mobilidade mais reduzida pela pandemia, devemos realizar pausas regulares e nos alongar sempre que possível. Em geral, o home office é quase sinônimo de computador. Assim, devemos primeiro adaptar o nosso escritório para termos a altura certa da mesa, da cadeira e do computador. Isso que fará toda a diferença para evitar lesões associadas ao tempo prolongado que passará sentado. Além da famosa tendinite, essas situações podem provocar dores na coluna, ombros, bacia, joelhos, até mesmo dores de cabeça e hemorroidas”, afirma Abdenur.
O ortopedista ressalta que os diagnósticos dos casos mencionados apresentaram um aumento neste período, principalmente, nas lesões provocadas pelo uso prolongado de computadores. No entanto, ele revela que também são registrados casos de dores geradas por fatores psicológicos decorrentes do período de incerteza e do isolamento social durante a pandemia.
“Temos percebido um aumento da atrofia dos membros, consequentemente, um aumento das dores. Temos atendido pessoas com dores relacionadas ao transtorno de ansiedade generalizada e depressão. Devemos procurar manter em forma tanto o físico quanto a mente. Mesmo assim, as pessoas não devem exagerar nas atividades onde não haja orientação. Procure ter mais atenção com a postura e realize atividades de relaxamento e controle emocional”, orienta Abdenur.
Telemedicina
Para dar mais suporte seguro aos beneficiários, o Sistema Hapvida disponibiliza a teleconsulta por vídeo, evitando a presença física nos Pronto-Atendimentos e consultórios nesse momento de combate ao novo coronavírus. Mais de 72 mil atendimentos foram realizados desde que o serviço foi lançado, em abril. Diariamente, são feitas cerca de 1 mil orientações médicas por teleconsulta, referente a Covid-19 e urgências simples.
Dentre os atendimentos realizados, apenas 5% precisaram recorrer a alguma unidade física da rede de saúde, configurando casos de maior urgência. Para o paciente ter acesso ao serviço oferecido pelo Sistema Hapvida, tanto para teleconsulta de urgência simples como de Covid-19, basta acessar o site do Grupo São Francisco, https://www.saofrancisco.com.br/. O serviço funciona todos os dias, 24 horas.

Compartilhe: