segunda-feira, 03 de agosto de 2020

Artigos

Hospital São Jorge inicia campanha em prol da Casa Transitória André Luiz

Instituição foi fundada em 1969 e enfrenta casos de Covid-19 entre seus colaboradores e abrigados

Produtos de higiene pessoal como sabonete, shampoo, aparelhos de barbear, desodorante, creme hidratante e talco são produtos que podem ser considerados acessíveis para parte da população. Mas, quando pensamos em uma instituição, com mais de 100 pessoas abrigadas, onde a preocupação com a higiene, principalmente em pessoas com a saúde fragilizada e em tempos de pandemia, a conta toma outra dimensão. Essa é a realidade da Casa Transitória André Luiz, que tem em comum com o Hospital São Jorge o seu ano de fundação,1969, e a sua vontade de fazer a diferença para o bem na vida das pessoas. Por isso, o Hospital São Jorge, por meio do seu Núcleo Social, iniciará uma campanha de arrecadação destes itens, que serão inteiramente doados para a Casa Transitória André Luiz. As doações podem ser deixadas em qualquer recepção do Hospital São Jorge, a partir desta segunda-feira (13).
A Casa Transitória André Luiz, tem mais de 100 abrigados com múltiplas deficiências, sejam elas congênitas ou adquiridas e atualmente lida com uma nova e triste realidade: a Covid-19, que, mesmo com todos os cuidados que a instituição e colaboradores sempre tiveram, conseguiu passar pelos portões e atingir, pelo menos, 60 pessoas, provocando cinco mortes confirmadas pela doença e uma em investigação.
De acordo com a assistente administrativa da Casa Transitória André Luiz, Ana Lucia de Souza, entre os mais de 100 abrigados, apenas 14 têm a família presente. “O nosso abrigado mais jovem tem 19 anos e uma família muito presente e interessada, o que é muito raro. Ele só está aqui porque a família não tem condições de oferecer os cuidados que ele precisa, mas o amam muito”, disse. Sobre os desafios enfrentados com a chegada da Covid-19 à instituição, Ana afirma que, no primeiro momento, a situação foi completamente assustadora, mas que agora é de luta, adaptações e cuidados. “Nunca imaginei viver o que vivemos aqui, mas agora, a morte de seis dos abrigados é motivo de imensa tristeza para todos os colaboradores, pois, o convívio diário, os tornam parte da nossa família. Mas agora, também estamos focados nos atuais pacientes, que estão ou internados ou em nosso isolamento, que foi criado exatamente para atender a todos os cuidados que o combate à Covid-19 exige”, disse.
A assistente administrativa ainda explica que a instituição conta sempre com a solidariedade da sociedade por meio de doações e que as necessidades são sempre postadas nas redes sociais, mas que existe a dificuldade de arrecadar a quantidade necessária de produtos de higiene pessoal. “Só de aparelho de barbear, nós usamos uma média de 800 a 1.000 por mês. Um local com tantas pessoas e que não conta com quartos individuais precisa de um extremo cuidado com a higiene”, afirmou.
Precisamos de ainda mais união agora
O médico e um dos diretores do HSJ Jorge Rezeck, afirma que, nesta campanha, precisa mais do que nunca da colaboração dos barretenses e pessoas da região. “Nosso Núcleo Social existe desde 2015 com campanhas bem-sucedidas, mas é a nossa primeira iniciativa em tempos de Covid-19, por isso acreditamos ainda mais na importância que ela tem, afinal, são vidas que estão em jogo”, disse.
É muito simbólico e ao mesmo tempo prático arrecadar itens de higiene no momento em que a Casa Transitória André Luiz está passando, pois a higiene tem relação direta com o evitamento ao contágio da doença.
O representante do Hospital São Jorge ainda explica que, diante o desafio urgente, não fará uma entrega única ao final da campanha, mas dará a oportunidade para que a instituição receba os itens arrecadados semanalmente. “Faremos um mês de arrecadação, mas não faremos a entrega apenas ao final da campanha, mas sim disponibilizaremos a possibilidade da instituição receber os produtos de forma semanal, uma vez que ela passa por um momento delicado”, diz.
Segundo ele, este desafio é ainda maior, mas que confia em todos os pacientes e amigos, tanto do Hospital São Jorge, como da Casa Transitória André Luiz. “Todas as semanas, até o dia 13 de agosto, precisaremos ter boas quantidades de doação, por isso pedimos para que todos entrem nesta onda solidária, que compartilhe a informação com os amigos, que unam pessoas dispostas a doar”, finaliza.
Todas as informações sobre a campanha estão disponíveis no site do Hospital São Jorge e na página do Facebook.

hospitalsaojorge.com.br e hospitalsaojorge

Compartilhe: