Ir para o conteúdo

segunda-feira, 24 de junho de 2024

Artigos

Hormônios da felicidade: conheça um pouco mais sobre eles

A felicidade é um sentimento buscado por todas as pessoas. Mas, você sabia que os hormônios da felicidade e bem-estar são produzidos naturalmente pelo nosso corpo? Embora possa haver um aspecto genético envolvido, a felicidade é algo que qualquer pessoa pode ter acesso por meio de algumas ações simples.
O estilo de vida, os hábitos, a rotina, as atividades físicas e mentais. Tudo isso influencia nos hormônios da felicidade e bem-estar.
Esse quarteto da felicidade como ficaram conhecidos, são neurotransmissores, ou seja, substâncias químicas produzidas pelos nossos neurônios e que controlam a liberação de hormônios e também o nosso humor. Isso significa que quando eles são liberados no cérebro, esses hormônios oferecem a sensação de felicidade e bem-estar para todo o nosso corpo.
Vamos conhecer um pouquinho melhor cada um deles?
A serotonina ajuda a equilibrar o humor e dá um impulso para a libido, apetite, sono, memória, aprendizagem e temperatura.
A endorfina é o principal hormônio da felicidade e bem-estar. Ela é produzida pela hipófise, uma glândula localizada na parte inferior do cérebro, que libera a endorfina produzida para todo o corpo por meio do sangue. Além de um hormônio da felicidade e bem-estar, ela também é considerada um analgésico natural e fortalece o sistema imunológico.
Sabe a sensação boa que a gente sente depois de fazer alguma atividade física? É a endorfina agindo em nosso corpo.
A oxitocina, ou ocitocina, também é conhecida como o hormônio do amor. Está relacionada com os comportamentos maternos e provoca sentimentos de segurança e calma. Dessa maneira, ela ajuda a controlar a ansiedade. Ela também está presente na hora do parto, estimulando as contrações do útero e liberação do leite.
A dopamina é outro hormônio da felicidade e bem-estar, no entanto, ela está mais relacionada com o sentimento de recompensa. Ela é outro neurotransmissor que possui funções fundamentais em nosso cérebro.
Além disso, a dopamina também está relacionada com as funções cognitivas, a função cardíaca e o controle dos movimentos do corpo. Sabe quando alcançamos um objetivo e surge aquela sensação de satisfação? Certamente nosso corpo está recebendo uma injeção de dopamina neste momento.
O mais importante disso tudo é saber que temos dentro de nós uma “farmacinha natural” e que devemos aprender a utilizá-la a nosso favor para conquistar uma melhor qualidade de vida diariamente.

 

 

Luciana Maria Depieri Branco
Neurocientista
SBNeC n° 16253
www.reabilitacaomultimidia.com.br

 

Contato Ginástica para o Cérebro: Hospital São Jorge (17) 3321-5050

Compartilhe: