Ir para o conteúdo

domingo, 21 de julho de 2024

Artigos

Henrique Prata acusa classe médica de desonesta: Dr. Fauze rebate em defesa

O gestor Henrique Prata, monopolizador da saúde pública de Barretos (e de parte da região), entrevistado por colunista social, acusa os médicos especialistas, experientes e gabaritados da Santa Casa.
http://www.instagram.com/reel/CrCmdJtNQaT/?igshid=ZTE2MDY0MWU=
De forma leviana, no link acima, afirma que praticamente todos os médicos “mamavam” na Santa Casa ao desempenharem os seus trabalhos.
Quem mente esquece que, em outra entrevista ao blog Piunti, admite ter sido matreiro, desonesto quando enganou médicos com missão oncológica da Fundação Pio XII, quando a assumiu, num trecho de 2 minutos da entrevista abaixo (na posição de 18 min a 20 min):
https://youtu.be/QOAYb2W5h1k
O que posso dizer é que, em 5 anos, esse Sr. apossou-se da Santa Casa de Barretos, sob os “auspícios” do ex prefeito Guilherme de Ávila em verdadeira negociata visando socorrer a sua faculdade particular de medicina que não possuía um hospital universitário sem o que seria imediatamente fechada.
Continua agora, debaixo da subserviência da atual prefeita Paula Lemos, a usar o hospital numa concessão de uso, sem licitação, pelo esdrúxulo prazo de 30 anos.
Esse gestor transformou um hospital regional (Santa Casa), qualificado e respeitado pela assistência à população em 100 anos, num verdadeiro arremedo de nosocômio, com área física deteriorando dia a dia e enfermagem sacrificada nos seus direitos.
Grave: com um corpo clínico composto por médicos aprendizes, sem qualificação reconhecida e sem Mestres nem Professores em quantidade e gabarito mínimo de uma faculdade de medicina regular.
Jovens sendo enganados quanto aos seus futuros por conta de remuneração hora/trabalho ilusória, imediatista, porém, mitigada quando comparada com centros dignificantes do trabalho médico.
Usa os “equipamentos” públicos como a Santa Casa, a UPA, o AME clínico e cirúrgico onde recebe aporte de fortuna de recursos sem que se saiba a destinação transparente. Pior: péssimos resultados dos tratamentos clínicos e cirúrgicos, colocando a população SUS assistida como verdadeiras cobaias ou bonecos de ensino de seus “alunos” de um rico negócio.
Somente em 2022, apontou o Tribunal de Contas do Estado, Barretos recebeu recursos da ordem de 2.473 reais / por habitante que foi o 5º. maior montante dentre as cidades do estado de São Paulo.
Se há alguém que tem que provar onde foi “sugado” esse volume de recursos são a prefeita e o Sr. Henrique Prata perante a péssima qualidade de medicina oferecida à população SUS.
Vale lembrar que na pandemia de COVID19, vieram outras fortunas que, além de não melhorar a estrutura da Santa Casa acontecia de o atendimento de COVID transitar pelo Hospital Nossa Senhora ou até pelo Hospital de Câncer, que são propriedades do Sr Henrique Prata, numa verdadeira promiscuidade de dinheiro público com os interesses particulares da Fundação Pio XII, sem um mínimo de transparência e fiscalização da destinação.
Portanto, se há alguém “mamando” não são evidentemente médicos atuais, nem os abnegados profissionais qualificados de outras décadas mas, possivelmente, uma fundação não governamental, particular e familiar carente de urgente auditoria séria para repor a verdade.
Não merecem prosperar colocações falaciosas, falas cínicas e demagógicas de alguém que já não detém o respeito de grandes cantores, doadores e de políticos que sempre apoiaram e já não acreditam mais.
Essa é a verdade constatável…serviço para Ministério Público, Tribunais de Contas e Polícia Federal.

 

 

 

Dr. Fauze José Daher
Médico Gastro-Cirurgião
Ex Diretor Clínico da Santa
Casa de Barretos, Ex Presidente
da Assoc. Paulista de Medicina e Advogado

Compartilhe: