Ir para o conteúdo

sexta-feira, 03 de dezembro de 2021

Artigos

Grupo de Reflexão sobre comunicação (Grecom) discute relação entre a Igreja e a comunicação digital

O grupo de reflexão sobre comunicação, o Grecom, pertencente à Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), se reuniu no último dia 22, de modo online, a fim de refletir a comunicação e seus processos a partir da perspectiva cristã.
Num primeiro momento, os membros do grupo refletiram sobre o artigo de autoria da Aline Amaro, cujo título é “Igreja e comunicação digital: das redes de comunicação às redes de comunhão”. O relato do texto foi feito por Marcus Tullius, membro do Grupo e coordenador nacional da Pastoral da Comunicação da CNBB.
A proposta do texto, segundo a própria autora, é a de pensar a relação entre Igreja e comunicação digital e questionar a relação da Igreja com o mundo de hoje.
No artigo, Aline Amaro cita, dentre outras coisas, que a cultura digital traz novos desafios para a autoridade e ensinamento oficial da Igreja. “Antes para chegar a mensagem do Papa até o fiel leigo, era necessário ser comunicada ao bispo, depois ao pároco e por fim chegava a base da comunidade. Com a comunicação em rede, temos acesso direto e em tempo real aos pronunciamentos e ações do Sumo Pontífice onde quer que ele esteja”, diz um trecho do artigo.
A autora menciona, ainda, que a sede de conexão demonstra o desejo por comunhão inerente ao ser humano. “Passar da experiência da rede de conexão para a rede de comunhão depende da abertura e solicitude humana, mas sobretudo é dom gratuito de Deus que age misteriosamente na sua Igreja”, diz.
Aline defende que, ao buscar a integralidade entre os espaços que o ser humano habita, a Igreja dá passos para se tornar on-life: uma eclesiologia que integre a vivência da fé física e digital em uma única e mesma realidade de comunhão com Deus e com toda a família humana. Sendo assim, a autora conclui que ao pensar a relação entre Igreja e comunicação digital não é “apenas preocupar-se com sua presença, atualização e ação nas novas mídias, é sobretudo reavaliar seu papel, contribuição e integração na sociedade contemporânea”.
Na pauta, também estiveram presentes propostas e atividades do Grupo para 2022. Uma delas é a de que os participantes irão pensar numa estruturação e viabilização dos estudos e atividades do Grecom, no site da CNBB. Reuniões trimestrais, sempre às sextas, foram definidas para serem realizadas em 2022. Além disso, o Grupo pretende gravar podcasts periódicos com temas pertinentes de comunicação.
Uma proposta de revisão e reforma do Diretório de Comunicação também está prevista para ser apresentada no ano que vem pelo Grupo.

Compartilhe: