Ir para o conteúdo

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Artigos

Gestão compartilhada: como alavancar os resultados de uma empresa

Quando ouvimos falar sobre gestão compartilhada, geralmente associamos a um programa de governo que basicamente envolve a participação da sociedade civil para a solução de um problema nas áreas de saúde, assistência e educação, por exemplo, ou parcerias público-privadas para gestão de empresas como a Eletrobrás e Infraero. Entretanto, esta também tem sido uma excelente estratégia para alavancar a marca e os resultados de empresas privadas de todos os setores: indústrias, comércios e prestadoras de serviços.
A gestão compartilhada neste âmbito é a gestão realizada em conjunto por vários entes que se reúnem para gerir projetos ou processos visando um objetivo comum. O diferencial desta estratégia é aliar qualidades indispensáveis para que os resultados sejam alcançados em curto prazo, ou seja, know how e experiência. 
A ideia de gestão compartilhada surge a partir das dificuldades enfrentadas pelas empresas para gerir o negócio de maneira efetiva sem perder o foco no seu core business. É unir inteligência e melhores práticas para atuar com excelência em outras áreas como estratégia, governança, finanças, recursos humanos, tecnologia, logística e marketing.
O trabalho em conjunto com profissionais diversificados costuma ser uma das melhores maneiras de prever e prover soluções para problemas pontuais ou complexos, otimizar riscos e investimentos e contribuir efetivamente para a consolidação de conhecimento e desenvolvimento da equipe.
O que estimula ainda mais sua adoção tem sido, principalmente, ao fato que demoraria muito tempo para se obter o conhecimento em detalhe de todas as áreas de negócio e ainda acompanhar as mudanças do mercado para que o empreendedor tome decisões mais assertivas. É certo que o crescimento acelerado e sustentável do negócio está diretamente vinculado ao perfil e talento dos líderes e profissionais que este tem ao seu lado. 
Outro aspecto favorável da gestão compartilhada é que ela não necessita ser permanente. A gestão pode ser por um prazo determinado até que a empresa se torne mais competitiva no mercado de atuação ou mais saudável financeiramente, por exemplo, isto é, dependerá do foco estratégico.
O que é evidente neste modelo de gestão é que a cada objetivo alcançado, aumenta a confiança dos participantes, tornando a cooperação mais estimulante para atingimento de metas e resultados. É uma maneira de obter o engajamento explorando o que cada um faz de melhor.
É importante ressaltar também que para tanto, todos devem respeitar e confiar no conhecimento e experiência específica vivenciada por cada um dos envolvidos. A ideia é que todos aprendam e saiam mais amadurecidos e com novas ideias para que o negócio tenha ainda mais sucesso.
Além disso, é fundamental delimitar em documento formal o escopo, a atuação das partes e ainda gerir a comunicação e a transparência das informações para diminuir qualquer tipo de conflito.
Se você é um empreendedor, pense no assunto, experimente. É uma parceria que tem tudo para dar certo.
 
Nadia Korosue é administradora de empresas, especialista em projetos

Compartilhe: