Ir para o conteúdo

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Artigos

Geração diferente

Devagar, a grande maioria de nós está se tornando mais um membro da atual “geração veloz”. Estamos nos convertendo nos personagens de uma geração que não tem tempo de conhecer e, muito menos de se aprofundar ou de sentir, a beleza das verdades da nossa doutrina, da doutrina cristã. Fomos deixando nos envolver, sem oferecer nenhuma resistência, pela rapidez com que correm os dias e muitos somos os que só falam das dificuldades da vida – porque fazem a vida muito difícil – e só pensam nos seus negócios – porque se materializam de tal forma, que o resto é secundário – e só almejam o poder – porque sempre foram vazios de Deus – e tornam o mundo e a posição social, seus objetivos principais. E a vida espiritual, já não tem mais espaço nessa carreira contra o tempo, em busca de ter hoje o mais possível; de gozar agora, o mais que pudermos. Porém sempre é tempo… E agora é o momento perfeito, para refazermos as nossas prioridades; para darmos os valores corretos, à cada uma das nossas atividades; para afastarmos de nossos corações, essa avalanche de tentações e preocupações, por coisas que sabemos ter muito pouco valor, realmente. A correria em que nos metemos, só nos traz aborrecimentos. Os que só falam em vida difícil, é porque os seus objetivos sempre foram, na realidade, a vivência de uma vida fácil, pela falta de responsabilidades para com o seu próximo e, em conseqüência, sem nenhuma preocupação com o bem e o serviço à comunidade. Quando o mundo não lhes dá o que almejam, esconjuram-no. Os que só pensam em “ter” e no “poder”, sempre pisam sobre uma série enorme de bens e de pessoas, para alcançar os seus objetivos e a conseqüência é, mais cedo ou mais tarde, o aparecimento de uma angústia, que só Deus que não tem espaço em suas vidas – seria capaz de acabar. Com o auxílio do próprio Deus, que sempre está à nossa espera, como um bom Pai, esses obstáculos, essa correria de nossa vida, poderão ser eliminados. Afastemos de nossos corações, tudo que possa dificultar a nossa conversão ao Senhor. Preocupemo-nos com as coisas do espírito. Conheçamos e sintamos a beleza de nossa doutrina, da doutrina cristã, que nos levará a buscar a liberdade (do pecado), a justiça (pela prática da verdade) e a fraternidade (amando os irmãos, para amar a Deus). Esse encontro com Deus, só nós trará alegria ao coração, paz à alma e a certeza de que é o mínimo que podemos fazer, para agradecer a vida (calma) que Ele nos deu e que quer que a vivamos.

Compartilhe: