Ir para o conteúdo

domingo, 28 de fevereiro de 2021

Artigos

Formações sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica 2021 serão online

A Comissão Diocesana da Campanha da Fraternidade, que este ano será Ecumênica, vai promover a partir do dia 09 de fevereiro Lives formativas das 19h30 às 20h30, diretamente da Catedral Divino Espírito Santo de Barretos.
As formações serão online, pelo Facebook e YouTube da Diocese de Barretos, para evitar os encontros presenciais evitando assim, o possível contágio e transmissão do Covid-19.
O tema e o lema deste ano são: “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor” e o lema “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade” (Ef. 2.14). Confira as datas com os temas e os palestrantes:
– 09/02 – “Introdução à campanha”: Irmãs Bernadete e Creudimar, Dom Milton e Pe. Deusmar
– 16/02 – “Fortalecer o diálogo”: Pe. Carlos Araki e Nívea Maria – 4ª Feira de Cinzas
– 23/02 – “Trocando impressões sobre os acontecimentos recentes”: Irmã Marta e Nívea Maria
– 02/03 – “Pessoas de boa vontade em um mundo cheio de barreiras e divisões”: Irmãs Creudimar e Bernadete
09/03 – “Contemplar a realidade com o coração”: Irmã Marta e Nívea Maria
16/03 – “Do que era dividido ele fez uma unidade”: Irmãs Bernadete e Creudimar
23/03 – “Convivência inter-religiosa”: Pe. Carlos Araki e Dom Milton
30/03 – Encerramento: Irmãs Franciscanas da Penitência e Dom Milton.
O objetivo geral da Campanha da Fraternidade Ecumênica (CFE) é promover o diálogo amoroso e o testemunho da unidade na diversidade, inspirados e inspiradas no amor de Cristo, convidar comunidades de fé e pessoas de boa vontade para pensar, avaliar e identificar caminhos para a superação das polarizações e das violências que marcam o mundo atual.
A CFE tem sido realizada, em média, a cada cinco anos. A iniciativa congrega diversas denominações cristãs, sempre de forma ecumênica, valorizando o que cada Igreja tem de bom.
O ecumenismo é um movimento entre diversas denominações cristãs na busca do diálogo e cooperação comum, buscando superar as divergências históricas e culturais, a partir de uma reconciliação cristã que aceite a diversidade entre as igrejas.

Compartilhe: