Ir para o conteúdo

segunda-feira, 24 de junho de 2024

Artigos

FHC: de liderança acreditada finalmente transformada num “terrível engano”

Numa atividade política que pude exercer partidariamente até 10 anos atrás, é possível coletar estórias e mais histórias que ficam marcadas.
Iniciei no PMDB, passei depois para o PSDB até 10 anos atrás e, no final, por opção pessoal, mercê das verdades e decepções que o tempo veio revelando estou desfiliado, para desfrutar da cidadania livre de militância política.
Tinha mudado do MDB para o PSDB atraído pela admiração por FHC, enxergando uma figura excepcional, que o tempo veio mostrar que, socialista com tendência de centro direita, era uma falsidade, revelando-se no pós governo, como um verdadeiro esquerdista. Pior: tipo comunista e que não teve a coragem, mesmo tendo governado o País, de assumir e levar adiante os ideais da foice e martelo. Ainda bem.
Na condição de um conservador com perfil de direita, fiquei admirador de FHC, ao ponto de rascunhar um artigo confessando tê-lo como um dos poucos estadistas que o Brasil já teve.
Aí acontecem dois lances de sorte. Um que me puxava para esperar um pouco antes de publicá-lo. Outro foi a rápida e progressiva visão que me proporcionou constatar tratar-se de amigo do “bando comunista do PT” disfarçando-se e mostrando o contrário: um falso antagonista radical do partido vermelho.
Nunca fora um consagrado administrador público, chegando à Presidência levado por parecer combatente ao comunismo e, na verdade, mostrado pela história, que eram parceiros combinados no bastidor, ludibriando a boa fé do povo brasileiro,
Sorte da Pátria em ter um presidente incompetente até para levar adiante seus nefastos ideais, porque exatamente esbarrava num povo tradicionalmente postado como democrático e anticomunista.
Apesar de conseguir alguma coisa louvável, como foi o Plano Real que estancou a tendência de aniquilação da nossa moeda louvando-se aí, com justiça, o comando do Presidente Itamar Franco, que o teve como Ministro da Fazenda.
Como foi desastroso ao abrir, por exemplo, o flanco para permitir aberturas descontroladas de faculdades de medicina, acarretando a “destruição” da qualidade da profissão médica, seguido, por Lula e Dilma, numa criminosa gestão da área, com o Brasil passando de 68 faculdades de Medicina, para atuais 356. Verdadeira aberração educacional colocando o povo, hoje, em mãos pouco confiáveis num momento crítico de doença, formando profissionais nivelados por baixo.
O funcionalismo federal teve um congelamento de nível salarial que jamais poderá ser reposto ao longo da história: remuneração era dignificante para exercer sem pressão de corrupção, a níveis injustos por governos, ao final, corruptos.
FHC enganou até o ponto em que resolveu mostrar o “miolo da melancia” que era. Hoje, em fase da vida que poderia ajudar com soluções para o País, junta-se ao bloco, de sua antiga “sinceridade” numa verdadeira contra mão de direção do caminho que interessa ao povo que teve oportunidade de governar.
Fui enganado ao inspirar-me em seu aparente traço de estadista. Chegando ao ponto de presidir o Diretório Municipal do PSDB, meramente pela admiração, sem mesmo pessoalmente o conhecer. Mas o povo brasileiro jamais poderia ser enganado.
Tive a sorte de não publicar um artigo que seria um equívoco.
Amém.

 

 

Dr Fauze José Daher
Médico Cirurgião
Ex Presidente do Diretório
Municipal do PSDB
Advogado

Compartilhe: