segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Artigos

Eta Mundo Bom!

“Tudo que acontece é para o melhor nesse melhor dos mundos” (Voltaire)

Caro leitor,
À tardezinha no ‘Vale a pena ver de novo’, da Globo, assistimos à novela ‘Eta Mundo Bom!’, no gênero comédia romântica, exibida em 2016, no horário das 18 horas, com grande sucesso de audiência e, conta a saga de ‘Candinho’, homem simples, criado na zona rural e suas aventuras na cidade grande à procura de sua mãe.
O que muitos não sabem é que a novela é inspirada no conto ‘Candide’ ou ‘O Otimismo’, do filósofo ilumunista Voltaire, escrito no século XVIII, mais precisamente em 1759, portanto, há 261 anos. É uma obra-prima do filósofo francês, em tom de sátira e otimismo, onde narra a história do jovem Candide, que vive num paraíso, como o Éden, e recebe ensinamentos de otimismo, através de seu mentor, o professor Pangloss, e a abrupta interrupção desse estilo de vida, quando se desilude ao testemunhar e experimentar eminentes dificuldades no mundo.
Essa magnífica obra literária e filosófica inspirou, em 1956, Leonard Bernstein que compôs diversas músicas para sua opereta ‘Candide’ e influenciou muitos romancistas, como: Aldous Huxley, em ‘Admirável Mundo Novo’ (1932); e o nosso Machado de Assis, com reflexões de otimismo e pessimismo nos romances ‘Memórias Póstumas de Brás Cubas’ (1881) e ‘Quincas Borba’ (1891).
Em 1954, o conto de Voltaire foi adaptado pelo cineasta e comediante brasileiro Amácio Mazzaropi, dando origem ao filme ‘Candinho’, produzido pela Cia. Cinematográfica Vera Cruz, dirigido por Abílio Pereira de Almeida, tendo no papel título o próprio Mazzaropi; no papel do professor Pancrácio, nada menos que o sambista e ator Adoniram Barbosa; a atriz Marisa Prado, na pele de Filoca; e um grande elenco. A história tem início em 1926, tal qual o ‘Moisés’, Candinho é achado em um cesto, no riacho, pela família do Coronel Quinzinho, proprietária da Fazenda D. Pedro II, onde cresceu, mas na condição de criado, vivendo em um casebre, apesar de que, quando encontrado, trazia consigo um medalhão, sinal de sua origem rica. Já moço o nosso herói é pego beijando Filoca, filha do coronel, que o expulsa da fazenda. Aconselhado a procurar sua mãe biológica, leva consigo o medalhão, e sai sem rumo, acompanhado de seu burro Policarpo. Finalmente chega a São Paulo, onde passa fome, dorme em banco de jardim, mas sem deixar de lado a sua missão. Ele reencontra a sua amada Filoca, que trabalha num ‘dancing’ e também o professor Pancrácio, que conheceu na fazenda, e juntos repetem a máxima: “tudo que acontece de ruim é para melhorar a vida da gente”. No desfecho da história, infelizmente, Candinho, após incessante procura, não encontra a sua mãe, pois, já é falecida.
Em 2016, foi produzida a novela ‘Eta mundo bom!’, escrita por Walcyr Carrasco e Maria Elisa Berredo, baseada no filme ‘Candinho’, com direção geral de Jorge Fernando, ambientada, nos primeiros capítulos, em 1926, quando Candinho foi encontrado no riacho e, depois, em 1948, com núcleos rural e urbano, cenas bucólicas na fazenda D. Pedro II, em Piracema, com forte sotaque caipira, e prestes a ser leiloada e, na cidade de São Paulo. A novela tem como protagonistas Sérgio Guinzé (Candinho) e Déborah Nascimento (Filó); no papel do professor Pancrácio, o ator Marco Nanini e um grande elenco. A canção ‘O que o ouro não arruma’, composta por Mário Vieira, faz parte da trilha sonora de ambas as produções, sendo que no filme é interpretada pelo próprio Mazzaropi e na novela por Daniel. Apesar da história central ser a mesma retratada no filme, algumas diferenças existem, entre outras, começando pelo formato, na novela acontecem várias tramas, que se entrelaçam, exigindo maior número de personagens, distribuídos em diversos núcleos; a cidade fictícia de Piracema, no filme situava-se em Minas Gerais, enquanto que na trama global, em São Paulo; os destinos de alguns personagens foram alterados, como a mãe de Candinho, dona Anastácia, proprietária de uma fábrica de sabonetes, interpretada por Eliane Giardini, que teve seu filho retirado de seus braços ao nascer, está viva e o recebe com muito carinho.
Afinal, o amor prevalece!
(Fontes: Wikipédia: VOLTAIRE. Candide ou O Otimista; a novela ‘Eta Mundo Bom!; filme ‘Candinho’ – Youtube )

José Antonio Merenda
Ator, diretor, historiador e Presidente da ABC – Academia Barretense de Cultura

Compartilhe: