Ir para o conteúdo

domingo, 29 de dezembro de 2013

Artigos

Estudos lançam dúvida sobre os benefícios da ingestão de peixe e ômega 3 para prevenir câncer de próstata

Tomar suplementos de óleo de peixe ou mesmo comer peixes muito gordurosos pode estar ligado a um risco aumentado para o câncer de próstata, de acordo com um novo estudo do Centro de Pesquisa de Câncer Fred Hutchinson, Estados Unidos. O resultado confirma os dados de um estudo anterior da mesma equipe, mas não deixam de ser intrigantes, uma vez que sempres se alardeou que o óleo de peixe possui efeito anti-inflamatório e protege contra o câncer.
O estudo analisou os níveis de ácidos graxos ômega-3 – o tipo de óleo encontrado em alguns peixes – no sangue de 834 homens que desenvolveram câncer de próstata contra 1.393 homens que não o fizeram. Homens que tiveram os mais altos níveis de ômega-3, os ácidos gordurosos, tiveram um aumento de 43% por cento no risco de câncer de próstata e 71% de elevação no risco para o câncer de próstata mais avançado, cuja mortalidade é bem maior.
Estes resultados foram publicados on-line, neste mês, no Journal of the National Cancer Institute. Pesquisadores vinculados a instituições, incluindo a Universidade de Washington, o Instituto Nacional do Câncer e Cleveland Clinic também estiveram envolvidos no trabalho. Um estudo inicial de 2011, no qual foram encontrados resultados semelhantes em um grupo diferente de homens, supreenderam por confirmar os achados anteriores.
Os novos dados são oriundos de um estudo cujo objetivo inicial, quando começou em 2001, estava investigando os papéis de selênio e vitamina E no câncer de próstata. Os pesquisadores coletaram amostras de sangue dos participantes do estudo, que não foram dadas instruções alimentares para a ingestão de ômega-3. Os mais altos níveis sanguíneos de três omega-3 os ácidos gordos, EPA, DPA e DHA, foram consistentes com a tomar suplementos de óleo de peixe ou comer pelo menos três porções de peixe por semana. Esses homens com os níveis mais elevados apresentaram maior probalidade de ser diagnosticado com câncer de próstata.
A relação entre câncer de próstata e ingerir peixes mais gordurosos ou tomar suplementos de óleo de peixe está longe de ser clara. Outros estudos descobriram um efeito protetor, embora uma grande análise de muitos estudos descobriram que o óleo de peixe não teve efeito convincente sobre o risco de câncer em geral.
“Na verdade, o fator genético ainda é o mais importante gatilho do câncer a ser acionado por quem sabe inúmeras substâncias presentes na natureza, desde as mais inocentes e benévolas como as potencialmente cancerigenas bem conhecidas. Só um acompanhamento criterioso e constante é a melhor forma de estarmos sempre um passo à frente do tumor”, afirma o urologista Dr. Ricardo Felts de la Roca.

Compartilhe: