Ir para o conteúdo

quinta-feira, 25 de julho de 2024

Artigos

Escrever

Como descrever a mágica sensação de transcrever o que está escrito na alma…
Começo com a descrição de Clarice Lispector:
“Escrever é procurar entender, é procurar reproduzir o irreproduzível, é sentir até o fim, o sentimento que permaneceria vago e sufocador.
Escrever é também abençoar uma vida que não foi abençoada.”
Segundo Cora Coralina:
“Poeta não é somente o que escreve,
É aquele que sente a poesia, se extasia sensível ao achado de uma rima à autenticidade de um verso.
Pra mim, escrever é deixar-se conduzir pela emoção de cada palavra, de cada acento, de cada ponto.
É saber usar com sabedoria as vírgulas, no papel e na vida, pois pausas são necessárias.
No belo livro de nossas vidas, que vamos escrevendo aos poucos, às vezes esquecemos de usar corretamente a pontuação, e vamos tecendo frases e mais frases sem vírgulas, sem ponto e vírgulas, e colocamos ponto final onde não deveríamos.
Deus nos deu a chance de escrevermos nosso próprio livro, de escolhermos quem seriam os personagens principais, o roteiro, e até de contribuirmos para que o final seja triste ou feliz.
Muitas vezes no mesmo livro encontramos romance, drama, suspense, terror, comédia, e infinitas páginas em branco, onde a qualquer momento podemos mudar o roteiro, pois somos escritores de nossa própria história.

 

 

Erika Borges, cronista e
escritora autora dos livros
Crônicas e Reflexões da Vida
e Crônicas e Reflexões na Pandemia
Mediadora de Bolioterapia

Compartilhe: