Ir para o conteúdo

sábado, 08 de maio de 2021

Artigos

Em Barretos: “morte na fila de COVID”, situação de atendimento organizada ou terrorismo arrecadador…. Qual é a verdade?

De uma tarde de segunda-feira ao decorrer da terça o barretense passou por um clima de insegurança, sem saber no que acreditar. Jornalismo regional da EPTV entrevista o Vice-Presidente da Santa Casa, o médico que, na verdade é o Diretor Técnico, Dr. Cesar Maurício da Silva, noticiando mortes na fila de internação da Santa Casa.
Ao se abrir os jornais da manhã, o Secretário de Saúde do Município (que não é médico), lê-se a notícia de que o atendimento está tranquilo, num desencontro de informações advindas da mesma área do governo municipal.
Onde afinal está a verdade? Qual terá sido o objetivo desse verdadeiro jogo de informações?
Em meio à insegurança provocada na população confiante e esperançosa de bons cuidados sob a pandemia, fica a impressão estranha de que estão em cotejo a matreirice de pintar um quadro grave para forçar receber mais recursos do Governo Estadual ou Federal, de um lado. E de outro, denotando falsidade de informação, a tentativa de acalmar a população da cidade, com o estranho fato (e a irresponsabilidade) de terem a mesma fonte de informação.
Aqui, uma parte da imprensa local.
Acolá, a imprensa regional com a sanha de provocar preocupações na alta esfera do Governo. Isso não é coisa séria. Fica pior ainda quando a Sra. Prefeita dá notícias relacionadas a outro problema (o transporte coletivo) que, se é importante, não é gritante, estando longe da preocupação sanitária, nem sequer a mencionando.
A questão financeira que deveria gerar inevitável movimentação de órgãos fiscais públicos (Ministério Público da Saúde, Câmara Municipal e Defensoria Pública) parece ter mobilizado a edilidade.
Chama muito a atenção o custo dos casos de COVID em Barretos, desde o seu início, e o expressivo montante de 53 milhões já recebidos. Como fica ridículo saber que a Santa Casa que sempre teve 330 leitos, já há 3 anos ver reduzida essa quantidade para 170, sem recomposição de sua área de acolhimento, e assistir notícias falsas ou verdadeiras de morte em fila de internação: se verdade, absoluto fracasso no programa municipal de atendimento.
Se inverdade, ninguém merece tal estresse, por manobras ilícitas com fim de arrecadar mais sem registrar a verdadeira finalidade. É muita frieza e ganância manobrada por um terrorismo indevido e a falta de interesse em investir dinheiro público num hospital também público (municipalizado) como é a Santa Casa de Barretos hoje.
Sobre tudo isso é preciso duas coisas: primeiro, não brincar com assunto sério (saúde); segundo, respeitar a condição do povo, integralmente preocupado com o momento sanitário e não merecendo o estresse diante da doença, eventualmente, mal assistida, nem de “jogadas” para a incontida volúpia de receber recursos financeiros.
Bem fazem alguns vereadores em conclamarem Dr. Cesar Mauricio, o Secretário da Saúde de Barretos, Sr. Kleber Rosa e a Prefeita para explicarem-se, porque a manobra confusa tem origem em salas da mesma Casa e projeta nossa cidade com notícia péssima, verdadeira ou não, em TV regional.
Embora já se clareia hoje, quinta-feira, haver sido um ridículo misancène, intima-se a trabalhar com seriedade e respeito.

*Dr. Fauze José Daher
Gastro cirurgião e ex Diretor Clínico da Santa Casa de Barretos
ex Presidente da Assoc. Paulista de Medicina – Reg Barretos
Advogado

Compartilhe: