Ir para o conteúdo

sexta-feira, 03 de dezembro de 2021

Artigos

É preciso perdoar

Bom Dia, Barretos!
Sempre é preciso perdoar. Nunca se deve negar um perdão, e se for o caso, perdoar mesmo que não peçam. Precisou que Cristo descesse a terra para nos ensinar o valor do perdão. Quando se perdoa, mais que perdoar alguém, estamos levando paz à nossa alma. Sei que não é fácil perdoar, e muito mais nos tempos atuais, onde o mundo foi tomado por uma onda de maldade, quando se agride a honra alheia, pelo prazer de agredir, sem qualquer base ou fatos reais. Onde verdades são distorcidas, prevalecendo mais a vontade de agredir, menosprezar, diminuir o próximo, acima dos fatos reais desde que atenda aos egos distorcidos, da época que estamos vivendo. A história de uma pessoa, seu caráter, sua honorabilidade, bem como, a história de serviços prestados por empresas conceituadas, nada representa para o agressor. Pessoa física, entidades civil ou pública, nada escapa à sanha destrutiva dos dias de hoje. Parece que a maldade passou a predominar e espíritos menos evoluídos, talvez em busca de holofotes, escolheram esse caminho, em busca de se destacarem e aplacarem seus egos doentios. Tem uma expressão inglesa que define muito bem essas pessoas, que é “tiny“ que significa pessoa de caráter pequeno, volúvel, indigna de nossa consideração, mas mesmo assim temos que as perdoar. Perdoar um filho, um amigo por um deslize momentâneo é fácil, mas perdoar um agressor, que te agride sem qualquer motivo ou te difama, por interesses outros, não é fácil, porém é preciso, e Cristo deixou isso muito claro. Aí é que se tem valor o ato do perdão, o gesto de perdoar, embora a alma muitas vezes não entenda nosso gesto. Do alto da cruz, ao final de seu sacrifício para nos salvar e reabrir os caminhos para a vida eterna, Ele exclamou: “Pai, perdoai-os, porque não sabem o que fazem”. Esse é o perdão que tem valor. Você não precisa se confraternizar com o agressor, nem dizer-lhe eu te perdoo, mas intimamente o perdoar e seguir o seu caminho, com a alma leve, sem rancor e sem mágoa. Praticar o perdão não é fácil, mas pode ter certeza é deveras reconfortante. Experimente, e verás.
Bom dia, Barretos.

Compartilhe: