Ir para o conteúdo

terça-feira, 27 de fevereiro de 2024

Artigos

É preciso amar até os inimigos

Preste muita atenção nestas palavras de Jesus, que destacamos do evangelho de hoje, em seu final: “Se vós perdoardes aos homens as faltas que eles cometeram, vosso Pai que está nos céus também vos perdoará. Mas, se vós não perdoardes aos homens, vosso Pai também não perdoará as faltas que vós cometestes.” (Mt 6,14-15) Essa questão do perdão incondicional é parte integrante e fundamental da oração que ele ensinou, denominada “Oração do Senhor” ou por isso mesmo chamada “Oração Dominical” = o Pai Nosso.
O último versículo do capítulo 27 do livro do Eclesiástico diz claramente: “O rancor e a cólera, também esses são abomináveis, o pecador os possui.” E continua no cap. 28: “Aquele que se vinga encontrará a vingança do Senhor que pedirá minuciosa conta de seus pecados. Perdoa ao teu próximo seus erros, e então, ao rezares, ser-te-ão perdoados os teus pecados.”
O tempo quaresmal nos recomenda três ações de conversão das quais dependemos para ganharmos, por graça, a salvação de Deus: Oração, Jejum, Caridade. Aqui estamos refletindo apenas na primeira – a Oração – que não tem valor, não nos serve, se estivermos em desavenças com pessoas que nos tenham prejudicado e ainda não as perdoamos.
Todos prejudicamos alguém com nossos erros, isso é inquestionável. É claro que o primeiro prejudicado é a própria pessoa, mas qualquer de seus atos maldosos, e também as omissões de práticas do bem, geram consequências para o outro, para a Igreja, para a sociedade. Pode acontecer então que uma pessoa vai procurar um padre para sua confissão, pedindo a Reconciliação com Deus…, mas se ela ainda não perdoou alguém que a prejudicou, também não vai conseguir o perdão de Deus, mesmo que receba a absolvição do padre que não conhece esse rancor que essa pessoa mantém oculto em seu interior.
Se uma pessoa estiver esperando só surgir uma oportunidade para “dar o troco” em quem a ofendeu ou prejudicou, é porque ainda não perdoou essa pessoa. E isso já é uma vingança intencional.
“Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem!” (Mt 5,44).

 

 

 

(Diácono Lombardi)

Compartilhe: