Ir para o conteúdo

segunda-feira, 04 de março de 2024

Artigos

E o Verbo se fez carne e habitou entre nós.

Nove meses antes do Natal, a Igreja celebra o mistério da Encarnação do Verbo, da humanização do Filho eterno do Pai, nosso irmão e Salvador. Aparentemente, uma interrupção da Quaresma, tempo que se prepara para a Páscoa. Na verdade, não há nenhuma contradição. A Encarnação tem um aspecto “passional”, pois aponta para a Paixão e morte na Cruz. O amor louco de Deus, que está na raiz da Encarnação, encontra, na Paixão, sua manifestação mais clara, seu coroamento, seu desfecho inesperado. Paixão e Encarnação: duas faces da mesma moeda.
A Anunciação é um dos momentos mais importantes da história da salvação. Deus se tornou um de nós para que fôssemos divinizados na condição de filhos e filhas. Este é o projeto de Deus para nós desde sempre. Esta é a nossa vocação última. O “sim” de Deus esperava o nosso “sim”. Este foi dado por Maria, Mãe de Deus e de todos os viventes.
No primeiro anúncio de Lucas, Deus já havia mostrado seu desejo de salvar a humanidade, prometendo o nascimento do predecessor de Jesus, João Batista (Lc 1,5-24). Agora, intervém de maneira direta na vida de uma virgem nazarena. Maria é convidada a participar de seu plano salvador. Este fato marca a história da humanidade. Há um antes e um depois. Primeiro foi o tempo da Promessa, agora a Redenção da humanidade se inicia e as promessas se realizam. Com seu “sim” Maria abre o caminho para que o Filho de Deus se encarne em nosso mundo. No ventre de uma virgem, numa pequena casa, na pequena cidade de Nazaré, Deus se faz pequeno e humilde para mostrar o tamanho do seu grande amor pela humanidade.
Na festa da Anunciação celebramos o mistério de Deus que inicia sua “kênosis” = esvaziamento – e vem nos visitar. Celebramos também o gesto de humildade e doação de Maria que abriu seu coração e seu corpo ao extraordinário, permitiu que seu corpo virgem gerasse uma vida, o Filho de Deus.
Hoje fixamos nela o olhar, para que nos ajude a anunciar a todos a mensagem de salvação e para que os novos discípulos se tornem operosos evangelizadores.

Compartilhe: