Ir para o conteúdo

sábado, 10 de junho de 2017

Artigos

E O FRIO CHEGOU

Bom Dia Barretos. Finalmente o frio deu as caras em Barretos. A temperatura média em nossa cidade é sempre alta, e qualquer mudança de temperatura para baixo, faz com que sintamos um frio exagerado. A chegada do mesmo, frequentemente, traz a tiracolo, as tradicionais campanhas de agasalhos. Tenho uma certa aversão pelas mesmas desde o tempo de estudante, quando fui testemunha ocular de frequentes desvio de sua finalidade. Creio firmemente que isso não ocorra aqui em Barretos, mas fiquei traumatizado ao testemunhar desvios, muitos deles absurdos, como os de mantimentos, agasalhos e recursos financeiros, que foram arrecadados para atender aos desabrigados pela enchente de Orós no Ceará, e foram simplesmente vendidos, enquanto os poucos desabrigados dormiam pelas sarjetas. 
Tais fatos me levaram a cultivar o hábito de atender as necessidades de irmãos menos favorecidos no seu dia a dia, ou em casos de intempéries, diretamente aos necessitados. Experimente deixar consigo uma peça de vestuário que possa ser doada ou um calçado que não vai usar mais, um par de tênis que ficou apenas ocupando espaço no armário e fazer o atendimento direto. 
Você já imaginou andando pela cidade cruzando com um andante tilintando de frio, parar e lhe oferecer um agasalho? Tal gesto, muito mais que o calor que poderá trazer ao seu corpo sofrido, aquecerá seu coração e até, poderá mudar os rumos de sua vida. 
Às vezes, entorpecidos pela labuta do dia a dia, com as dificuldades que passamos, esquecemos que temos muito mais, que outros irmãos abandonados pela sorte, e que aquela peça de vestuário que estamos descartando, pode vir a ser a melhor peça a vestir irmãos desafortunados.  Aquele par de tênis que você oferecer a um pedinte, mais que agasalhar seus pés, aquecerá sua alma e lhe permitirá voltar a acreditar na humanidade. 
Se me perguntarem, entregando os mesmo numa campanha não terá o mesmo efeito, direi não. O impacto do ato, o surpreender com um gesto de fraternidade e amor, quem está vagando pelo mundo da desesperança, pode ter o condão de mudar os rumos de sua vida, além de proporcionar um bem-estar maravilhoso a quem assim proceder. 
Experimente, e comprove os resultados. Talvez nunca mais verá o agraciado, talvez estupefato, o mesmo nem lhe agradecerá, nem mesmo um obrigado, mas você saberá que praticou um ato de amor ao próximo. A entrega de doações em uma campanha, não causa impacto, e para quem doa, é como se estivesse se desfazendo de algo que não precisa mais. É apenas um ato de solidariedade, não tem o mesmo impacto para quem recebe, e torna se apenas um ato mecânico, para quem dá. 
Quando você oferece uma peça a um pobre desvalido, um maltrapilho, um ser desencaminhado na vida, pelos mais variados motivos, você estará mais que doando, você o estará envolvendo numa aura de amor e felicidade, que poderá cicatrizar feridas que sangram em sua alma. O frio chegou. Experimente.
 
BOM DIA BARRETOS. 
 

Compartilhe: