Ir para o conteúdo

segunda-feira, 23 de maio de 2022

Artigos

Domingo de Páscoa

Bom dia, Barretos!
Hoje, estaremos comemorando o domingo de páscoa. Não a páscoa das confraternizações protocolares. Não a páscoa de ovos de chocolate trocados entre familiares e amigos, nem a páscoa da complementação de um longo feriado de final de semana, mas a abençoada páscoa da ressurreição, do filho de Deus, feito homem, e que veio a terra para nos libertar do pecado original e mostrar o caminho para o nosso retorno espiritual à casa do Pai. A páscoa fecha a semana santa, onde acompanhamos o sofrimento de Jesus, que veio a terra, para sofrer as tentações que nos atormentam a cada dia, sofrer as agruras, que nós humanos sofremos na caminhada terrestre e ser imolado, como o cordeiro de Deus, para nos salvar. Claro que como Deus, poderia ter descido do céu pairando sobre as nuvens e cercado por um exército de anjos e querubins, ter dominado a terra, pelos seus poderes, não necessitando aplicar força física, só que não teria nos salvado. Não ele não veio para nos dominar, mas fez-se homem, nasceu como qualquer criança tornou se menino, jovem, para como adulto pregar a palavra do Pai, e no momento certo aceitar de bom grado passar pelo sofrimento e humilhações até ser crucificado e morto na cruz. Esse o preço de nossa salvação, Ele o pagou revestido de amor pelo ser humano e certo que desta maneira estaria abrindo as portas do céu, para os homens criados a semelhança de Deus. A páscoa é precedida pela quinta-feira santa e sexta-feira da paixão, onde acompanhamos o sofrimento do filho de Deus feito homem e que nos remete a analisar o nosso comportamento no dia a dia com a nossa família e nossos irmãos em Deus. É momento para reflexão e procurarmos entender o verdadeiro significado da ressureição de Cristo, momento de analisar se estamos sendo dignos do sacrifício de um Deus, que veio a terra para nos salvar. Páscoa é renascer, renascer para uma nova vida, cheia de fé e caridade, é renascer como Cristo renasceu, para nos ensinar que a vida persiste após a morte, e aí sim, colheremos os frutos de nosso plantio terrestre. Pascoa é reviver, é recomeçar nossa caminhada após os tombos da vida, após a morte pelo pecado, as agruras e sofrimento pelos nossos fracassos, mas certos que Deus sempre nos dá a oportunidade de um novo recomeço, de um reviver para uma nova vida. Saibamos, pois aproveitá-la.
Bom dia, Barretos.

Compartilhe: