Ir para o conteúdo

sexta-feira, 15 de outubro de 2021

Artigos

Dom Milton Kenan Junior – Circular 06/2021

Meus prezados irmãos e irmãs em Cristo,
Para este mês de junho, o Papa Francisco propõe como intenção para a grande Rede de Oração com o Papa: “rezemos pelos jovens que se preparam para o matrimônio com o apoio de uma comunidade cristã, para que cresçam no amor, com generosidade, fidelidade e paciência”.
Na Exortação “Amoris Laetitia” o Papa Francisco diz que “precisamos de encontrar as palavras, as motivações e os testemunhos que nos ajudem a tocar as cordas mais íntimas dos jovens, onde são mais capazes de generosidade, de compromisso, de amor e até mesmo de heroísmo, para convidá-los a aceitar, com entusiasmo e coragem, o desafio do matrimônio” (n.40).
Estas palavras do Papa despertam em nós a importância e a necessidade de ajudar os jovens a descobrirem a beleza do matrimônio; chamam também a nossa atenção para os desafios que jovens e famílias enfrentam para construir relações que não se limitem a um momento passageiro, onde o que prevalece é o prazer pelo prazer, sem compromisso, nem perspectiva de continuidade.
Fortemente influenciados pelas redes sociais, a grande maioria dos jovens, hoje, quando pensam numa relação mais duradoura, assumem-na como uma “experiência” sujeita a perdurar por um período curto e inconsistente. Hoje, infelizmente, não podemos mais falar das fases que marcam os relacionamentos, pois tudo é tão precoce e tão rápido, que são poucos os jovens que de fato estão preocupados em percorrer um itinerário de conhecimento recíproco, de descoberta de si na relação com o outro, de amadurecimento no compromisso mútuo.
Diversos fatores são responsáveis por esta realidade. Podemos atribuí-la a “mudança de época”, quando valores e compromissos são relativizados; mas não podemos deixar de reconhecer que em muitos lares falta o testemunho de uma convivência conjugal madura, há uma carência de testemunho de casais que unam fé e vida familiar, capazes de iluminar os jovens nas suas escolhas, a partir das próprias famílias às quais eles pertencem.
Francisco, por sua vez, afirma que, diante desta complexa realidade, as comunidades cristãs são chamadas a desempenhar um papel importante, empenhando- se por formar na fé os adolescentes e os jovens que frequentam a comunidade eclesial, seja na catequese como nos diversos grupos juvenis, para descobrirem o verdadeiro significado do amor, e consequentemente do sacramento do matrimônio.

Dom Milton Kenan Junior
Bispo Diocesano
de Barretos.

Compartilhe: