Ir para o conteúdo

domingo, 30 de março de 2014

Artigos

Divertículos colônicos, diverticulose e diverticulite: que problema de saúde é esse afinal?

Quatro pesquisas trazem dados novos sobre a doença diverticular dos colons.
 
A diverticulose, uma condição que se desenvolve quando se formam bolsas na parede do cólon, tem sido mais frequentemente diagnosticada. Ela afeta a maioria dos que atingem os 80 anos – uma parcela crescente da população – e impõe uma carga substancial de cuidados de saúde, mas, curiosamente, há uma falta de dados e muitas perguntas não respondidas em torno do início de sua formação. 
O gastroenterologista Silvio Gabor (CRM-SP 47.042) esclarece que “o divertículo é uma saliência para fora da parede de uma víscera oca. No ocidente, 85% dos divertículos do aparelho digestório localizam-se no cólon sigmoide (porção final do intestino grosso). São classificados como hipotônicos (causados por afrouxamento dos músculos da parede do intestino) e hipertônicos (aumento da pressão no interior do cólon que força a parede intestinal para fora). A presença de inúmeros divertículos é a diverticulose. A inflamação do divertículo é a diverticulite”.
A edição de dezembro da Clinical Gastroenterology and Hepatology, revista oficial da Associação Americana de Gastroenterologia, preenche uma lacuna sobre a pesquisa em relação à diverticulose. Os quatro estudos a seguir oferecem uma nova visão sobre essa condição:
· “Prisão de ventre e uma dieta pobre em fibras não estão associadas com diverticulite” – Neste estudo transversal, a colonoscopia desafia as crenças atuais, revelando que nem a constipação, nem uma dieta pobre em fibras estão associadas diretamente a um aumento do risco de diverticulose;
· “O aumento do risco de Síndrome do Intestino Irritável após diverticulite aguda” – De acordo com esta pesquisa, os pacientes com diverticulite podem estar em risco de desenvolverem, posteriormente, a Síndrome do Intestino Irritável e outros distúrbios intestinais funcionais;
· “O risco de longo prazo de diverticulite aguda entre os pacientes com diverticulose incidental encontrados durante a colonoscopia” – Com base em um estudo realizado com dados do Veterans Affairs Greater Los Angeles Healthcare System, apenas cerca de 4% dos pacientes com diverticulose desenvolvem diverticulite aguda em algum período de sua vida, contrariando a crença comum de que a diverticulose tem uma alta taxa de progressão para diverticulite;
· “Maiores níveis séricos de vitamina D estão associados com um risco reduzido de diverticulite” – Este estudo constata que, entre os pacientes com diverticulose, os níveis pré-diagnósticos mais altos de vitamina D no organismo estão associados significativamente com um menor risco de diverticulite. Estes dados indicam que a deficiência de vitamina D pode estar relacionada com o desenvolvimento da diverticulite.

Compartilhe: