Ir para o conteúdo

terça-feira, 27 de fevereiro de 2024

Artigos

Dia Mundial da Síndrome de Down: entenda a origem e sua importância.

A Síndrome de Down (SD) foi identificada inicialmente por John Langdon Down por volta de 1866. Esta condição é caracterizada pela presença de um cromossomo 21 extra nas células, resultante de alterações na distribuição cromossômica e por este motivo, a síndrome de Down também é conhecida como Trissomia do 21. Segundo a Organização Mundial de Saúde a cada 800 partos, uma criança nasce com SD e no Brasil, e são aproximadamente 300 mil pessoas com esta alteração genética.
O Dia Mundial da Síndrome de Down é comemorado em 21 de março por fazer alusão à presença de três cópias do cromossomo 21 nas pessoas com SD. A data, é reconhecida pela Organização das Nações Unidas desde 2012, mas só passou a fazer parte do calendário nacional no ano passado, em 2022, após a aprovação da PL 6576/2019. Além do dia nacional da SD, ficou instituído a Semana Nacional de Ações Públicas e Sociais no Campo da Síndrome de Down, de modo que os poderes públicos podem realizar um conjunto de ações em parceria com a sociedade, destinadas a compreensão, ao apoio, à educação, à saúde, à qualidade de vida, ao trabalho, e principalmente ao combate ao preconceito em relação as pessoas com SD e seus familiares. Desta forma, a data de 21 de março é agora um importante marco na conscientização e na quebra de paradigmas sociais em relação as pessoas com a SD, com principal objetivo de contribuir para a inclusão plena das pessoas com SD na sociedade.
O cérebro humano possui aproximadamente 86 bilhões de neurônios, que se conectam para elaborarem funções altamente complexas. Hoje a ciência considera o cérebro bem mais que um aglomerado de neurônios e mais importante que o total de neurônios são as conexões efetivas que eles estabelecem entre si. Em pessoas com SD, pesquisas mostram que o cérebro pode apresentar alterações no número de neurônios e nas suas conexões, podendo resultar em atraso do desenvolvimento neuropsicomotor, por exemplo.
Por outro lado, já está claro que o cérebro não se desenvolve apenas seguindo um caminho genético predeterminado, o desenvolvimento cerebral ocorre para além da definição genética, e o ambiente pode influenciar, e muito, no número de neurônios e suas conexões efetivas. Os neurônios e suas conexões são altamente maleáveis, moldáveis ao ambiente, e isso é possível graças a uma característica do nosso cérebro, conhecida como plasticidade cerebral. Deste modo, um cérebro bem estimulado, é um cérebro potente!
Na SD, ou em qualquer condição que atrase o desenvolvimento neuropsicomotor, estímulos são importantes e mais, são necessários. Vários estudos já mostraram que estímulos sensoriais, estímulos motores, estímulos cognitivos podem influenciar de maneira positiva no desenvolvimento. Portanto, quanto mais desafiador e enriquecido é o ambiente que a pessoa com SD está inserido melhor será o seu desenvolvimento, promovendo autonomia e diferentes possibilidades de descobertas de seu potencial ao longo do desenvolvimento.
Assim, o objetivo de atingir o máximo do potencial de desenvolvimento da pessoa com SD, vai de encontro com o tema do Dia Mundial da Síndrome de Down deste ano (2023) que é “CONOSCO, NÃO POR NÓS– With us, not for us”. Que em outras palavras seria: faça com a gente, não pela gente. Desta forma, o tema deste ano sugere que todas as pessoas reflitam e deixem no passado a visão ultrapassada sobre está condição, e passem a ter um olhar atual, empático e de cooperação. Inclusão SEMPRE!

 

Dr. Everton Horiquini
Barbosa, Professor Universitário,
Fisioterapeuta Neurofuncional,
Membro da Sociedade Brasileira
e Fisioterapia Neurofuncional – ABRAFIN

Compartilhe: