quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Artigos

DIA DO TRABALHO

Bom Dia Barretos.

Dia primeiro de maio comemoramos o dia do trabalho, mas que na verdade deveria ser o dia de se homenagear o trabalhador, que com seu esforço impulsiona o desenvolvimento de uma nação. Este ano, o primeiro de maio trouxe uma série de inconformidades. Primeiro, vivemos uma quarentena agressiva, onde sair de casa é proibido, andar pelas ruas leva a multas e o trabalho foi relegado a um segundo plano, quando não, proibido, num verdadeiro atentado à dignidade do trabalhador. Em tempos passados, as centrais sindicais promoviam festas populares, onde os oradores reivindicavam melhores condições para o trabalho e melhores remunerações para o trabalhador.
Nesses tempos bicudos, o que estamos presenciando, é que as centrais sindicais convocam manifestações eletrônicas, desprovidas de calor humano, e os convidados para se manifestarem, escolhidos entre os que agridem o governo, pouco se preocupando com as reivindicações de melhores condições para os trabalhadores, ou mesmo defender o direito de trabalharem. Este primeiro de maio, passará à historia, como o primeiro de maio da mesa vazia, da fome a espreitar e do trabalho proibido.
Até DEUS, quando expulsou Adão e Eva do paraíso, lhes disse: “comerás o pão com o suor de teu rosto”, mas hoje querem que o trabalhador enfrente grandes filas em busca de um auxilio de 600 Reais, em vez de lhes permitirem o sagrado direito, de com o trabalho digno, sustentar sua família.
Não sei se temos alguma coisa a comemorar neste primeiro de maio. Daqui de minha trincheira, me contento em abraçar cada trabalhador pelo que representam na estruturação da pátria, e rogar a DEUS que lhes seja permitido, no menor prazo possível, retomar sua rotina de trabalho. O cidadão, o trabalhador e o empresário têm consciência da necessidade de se protegerem contra o covid 19, sem a necessidade da camisa de força que estão impondo a todos nós.
Que as centrais sindicais acordem e percebam que convidar os desafetos do presidente para os atos sindicais, se constitue na maior demonstração de despreparo de seus dirigentes. Que DEUS se apiede do Brasil e hoje, em particular, da classe trabalhadora. Feliz primeiro de maio

Bom Dia Barretos.

Compartilhe: