quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Artigos

DEVEMOS PASSAR A BOLA PARA PELÉ.

O hibridismo entre capitalismo e socialismo não é a melhor aternativa, assim como o capitalismo tímido também não é
Surge então, o liberalismo no século XVIII, como sistema menos imperfeito e mais condizente com a natureza humana.
Achamos que devemos ampliar a liberdade humana, principalmente, neste novo milênio, onde embrionariamente percebemos uma massa menos tosca pronta para auto sobreviver.
É a eficiência do sistema e não o sentimento piedoso que irá fortalecer as massas.
Por isso, sugerimos, primeiramente, passarmos a bola para PELÉ, ou seja, criar um micro economia, menos restritiva e solta dos preceitos limitadores da liberdade econômica, que enferruja a maquina produtora, dando dinamismo e benefícios para a classe produtora.
É notória a interdependência entre capital e trabalho. Porém, é visível que o trabalhador não dependa só do capital do empresário, principalmente de sua liderança. No anarquismo e sem talento nada funciona.
Como paradigmas do funcionamento sintonizado entre capital e trabalho têm a TV. GLOBO. A empresa conforme o resultado contábil, dita sua política salarial. Por isso, seus funcionários, além de torcer pelo resultado da empresa, empenham até o limite de sua capacidade profissional para seu sucesso televisivo.
O sucesso da empresa é que determina sua política salarial.
Empresas com contabilidade saudáveis, refletem, significativamente, em toda dinâmica salarial.
Por isso, o liberalismo impõe como sistema digno e pejorativamente, mais contundente com a natureza humana. Os outros, são pirotecnias teóricas nascida da mente humana e não dos fatos.
Aumentar a liberdade individual econômica, com as massas em transformações, criará além do funcionamento mais dinâmico da economia, instrumentos capazes de auto sobrevivência digna, para os incipientes emergentes vindos do povo.
Quando a mim gostaria de trabalhar na rede GLOBO, mas falta talento, cabendo então explorar o mundo fascinante e exuberantemente agradável dos livros.

JUAREZ ALVARENGA
ADVOGADO E ESCRITOR

Compartilhe: