Ir para o conteúdo

sábado, 18 de março de 2017

Artigos

Deus usa o sofrimento para refinar-nos

O sofrimento é uma constante na vida do homem. Sofremos por amor, por problemas de saúde etc. Mas o que significa sofrer? Segundo o dicionário da Língua Portuguesa sofrer significa: sentir, padecer, experimentar, passar, suportar, tolerar, ter dores, ser atormentado. Para muitos, o sofrimento é algo ruim e sem sentido, experimentado pelos fracos.
Vários filósofos enxergam o sofrimento como um sentimento ou fruto de escolhas que causam dor, desolação, angústia, falta de autoconfiança, e que apenas prejudica o sujeito, “condenado” a sofrer.
Daí surge a questão: como encaramos o sofrimento, as dificuldades, os fracassos? 
A dor, é fato, faz parte da vida, assim como a alegria e o prazer. Cabe ao sujeito saber o que fazer a partir da dor; qual o sentido quer dar para o seu sofrer. Ora, o desafio do cristão é transformar a dor em alegria, é descobrir o milagre onde parece impossível, é sonhar em meio às trevas, é ter fé na incredulidade, acreditar na vitória após as tribulações, é ver a vida com o coração e fazer das coisas simples mil motivos para sorrir; é crer que “após a tempestade vem a bonança”.
Mas será possível essa transformação? Sim, é possível. Porém não se trata de um mero esforço humano, mas divino. Encontrar alegria na dor não significa buscar o sofrimento, é experimentar a alegria de saber que apesar da dor ela é sempre passageira, e que ao seu fim vem a vitória. Na carta aos Romanos, Paulo ensina que o sofrimento produz perseverança, paciência, persistência, constância. Características que se apresentam no homem maduro, que se mantém leal à sua fé e aos seus propósitos mesmo quando está debaixo das maiores tribulações ou sofrimentos. O sofrimento é um meio que Deus usa para fazer crescer na fé. Pedro diz que o sofrimento é comparado à ação do fogo, como um elemento purificador, um elemento que torna o objeto aprovado, aperfeiçoado, confirmado. Deus usa o sofrimento para refinar-nos.
O Cristão, quando deparar-se frente ao sofrimento pelas mais variadas razões, deve lembrar-se que não é um desventurado, mas um amado de Deus. Os sofrimentos pelos quais passa são maneiras, talvez até incompreensíveis à razão humana, de Deus fazer bem à sua vida. Os sofrimentos suportados com paciência por um cristão servem de exemplo e testemunho para toda a Igreja.  
O sofrimento é a escola onde aprendemos a consolar e confortar as pessoas da mesma maneira como Deus o faz. Somente quem enfrentou dor, sofrimento e perdas pode genuinamente consolar os que enfrentam tais situações.
 
Diego Mendes – Seminarista
 

Compartilhe: